O funcionário público

User avatar
azert
Edição Única
Posts: 2705
Joined: 14 Sep 2007 12:30
Location: Braga
Contact:

O funcionário público

Postby azert » 14 Feb 2009 19:10

<!--coloro:#696969--><!--/coloro-->No meu blogue, há de tudo, como antigamente na pharmácia. Este texto (também incompleto :rolleyes: ) vem a propósito das Memórias do nosso chefe. :mrgreen4nw:
<!--colorc-->
<!--/colorc-->
Um portal no meio de um bosque que deixa quem o franqueia quase no mesmo sítio de onde saiu, era como uma maçaneta sem porta. E essa provocante e transgressora inutilidade fazia-o voltar, vezes sem conta, àquele lugar e a atravessar o umbral, para lá de qualquer lógica.
Este gosto pelo desnecessário, pelo inútil, pelo que esgota em si próprio todo o objectivo da sua existência, adveio-lhe, provavelmente, dos tempos em que era funcionário público. Naquela altura, a sua função consistia em produzir uma montanha de papéis para que o posto do colega do lado, aquele que tratava dos arquivos, tivesse razão de ser. Na repartição onde trabalhava, iam buscar-se papéis aos arquivos, faziam-se cópias certificadas dos mesmos para que estas pudessem ir, por sua vez, engrossar as fileiras de papelada a arquivar noutras repartições públicas. A burocracia, pensava ele, era um movimento gracioso de multiplicação e transladação de documentos oficiosos.
Agora que estava reformado, percorria o bosque em busca de duendes, criaturas quase tão fantásticas como um trabalhador das finanças. Ninguém acredita que possam existir pessoas devotamente dedicadas a imiscuir-se nas contas dos outros e a fazer proliferar papéis, como o Cristo os peixes. Mas havê-las, há-as.
Por entre a folhagem, Secundino - o funcionário público - descobriu um rasto de nevoeiro, muito do agrado da sua nebulosa mente. Seguiu-o, claro está, como quem segue as normas de um procedimento, um passo após o outro, num encadeamento sequencial sem rasuras.
No fim do caminho, erguia-se, já não um portal, mas uma fachada inteira. Que não tivesse porta, não tinha qualquer importância, pois o lado de dentro era simultaneamente o lado de fora. Um paroxismo à medida do gosto de Secundino, apurado por anos a fio a trabalhar na Função Pública. Aquela iria ser, doravante, a sua morada.
(...)
Image Image

Pedro Farinha
Edição Única
Posts: 3298
Joined: 03 Apr 2005 00:07
Contact:

Re: O funcionário público

Postby Pedro Farinha » 14 Feb 2009 19:23

:rofl:

User avatar
Thanatos
Edição Única
Posts: 13870
Joined: 31 Dec 2004 22:36
Contact:

Re: O funcionário público

Postby Thanatos » 15 Feb 2009 23:40

Com um toque de realismo mágico argentino, um travo de kafka, e um aroma a Gaiman, soube-me a pouco. Quero mais. Nem que para tal tenha de autenticar o temido modelo 01DJR. :biggrin:
Não importa como, não importa quando, não importa onde, a culpa será sempre do T!

-- um membro qualquer do BBdE!

User avatar
Ripley
Edição Limitada
Posts: 1219
Joined: 30 Jan 2009 02:10
Location: Under some mossy rock
Contact:

Re: O funcionário público

Postby Ripley » 16 Feb 2009 02:28

O nosso chefe conhece figuras fantásticas como duendes e ogres. Têm é o hábito de se esconder na floresta para assar chouriços. Pero que los hay, los hay!

Adorei o nome do personagem, estava a imaginá-lo a carimbar pedras no percurso para saber exactamente por onde tinha vindo. E o final deixa mesmo o gostinho por mais ...
"És a metade que me é tudo." [Pedro Chagas Freitas]
---§§§---
"O amor não se percebe. Não é para perceber. O amor é um estado de quem se sente. O amor é a nossa alma. É a nossa alma a desatar. A desatar a correr atrás do que não sabe, não apanha, não larga, não compreende." [Miguel Esteves Cardoso]

gajomailindo
Brochura
Posts: 42
Joined: 18 Dec 2008 20:13
Location: uma cidade pimba
Contact:

Re: O funcionário público

Postby gajomailindo » 17 Apr 2009 19:40

Muito bom! Só achei o parêntesis desnecessário.
Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Sed nulla purus, ultrices at, imperdiet in, faucibus eget, lacus. Cum sociis natoque penatibus et magnis dis parturient montes, nascetur ridiculus mus. Nunc egestas ullamcorper diam. Nulla est nisi, placerat ut, accumsan non, varius eu, pede.

User avatar
azert
Edição Única
Posts: 2705
Joined: 14 Sep 2007 12:30
Location: Braga
Contact:

Re: O funcionário público

Postby azert » 17 Apr 2009 19:45

gajomailindo wrote:Só achei o parêntesis desnecessário.


Tirei o parêntesis... e substitui-os por dois traços! :mrgreen4nw: :mrgreen4nw: :mrgreen4nw:
Image Image

Ray_of_Darkness
Encadernado a Couro
Posts: 342
Joined: 14 Aug 2007 17:28
Location: Porto
Contact:

Re: O funcionário público

Postby Ray_of_Darkness » 17 Apr 2009 19:54

azert wrote:[color="#696969"][/color]criaturas quase tão fantásticas como um trabalhador das finanças


:lol2: Quase tão fantásticas! Isto é que é um elogio! Acho que mereces um aumento azert... :whistling:
<a href="http://madebynatercia.blogspot.com" target="_blank">Made By...Natércia</a>

User avatar
azert
Edição Única
Posts: 2705
Joined: 14 Sep 2007 12:30
Location: Braga
Contact:

Re: O funcionário público

Postby azert » 17 Apr 2009 20:36

Ray_of_Darkness wrote::lol2: Quase tão fantásticas! Isto é que é um elogio! Acho que mereces um aumento azert... :whistling:


Aceito! :thumbup:


<!--coloro:#808080--><!--/coloro-->(Ainda que aí o fantásticas fosse no sentido de "da fantasia" e não no de "maravilhosas". Mas isto fica só entre nós.)<!--colorc--><!--/colorc--> :mrgreen4nw:
Image Image

User avatar
Thanatos
Edição Única
Posts: 13870
Joined: 31 Dec 2004 22:36
Contact:

Re: O funcionário público

Postby Thanatos » 18 Apr 2009 10:25

Patrão fora, dia santo na casa!

Eu também gosto da: Dorme o gato, brincam os ratos. :tongue:
Não importa como, não importa quando, não importa onde, a culpa será sempre do T!

-- um membro qualquer do BBdE!


Return to “azert”




  Who is online

Users browsing this forum: No registered users and 1 guest

cron