Page 1 of 1

Botas verde-alface/

Posted: 03 Apr 2009 19:34
by White Rabbit
Este fim de semana comprei uma coisa que nunca pensei em comprar: um par de botas verde-alface. Encontrei-as numa loja de chineses mesmo no centro de Portalegre, e confesso que não me passaria pela cabeça comprar calçado dessa cor, o que raio usaria para combinar com umas botas verde-alface, bicudas e de salto alto, mas o preço fez-me decidir comprá-las, uns meros cinco euros, e é claro que sei que não irão durar muito, e que daqui a uns tempos hão-de estar completamente desfeitas, só que ainda assim trouxe-as para casa, e de cada vez que olho para elas ponho-me a pensar em como é possível uma coisa destas, quanto é que pagarão à mão-de-obra que fez aquele par de botas, cortar as peças, cosê-las, meter as gáspeas nas formas, colar as solas e os saltos e depois embalá-las, se os salários já são tão baixos, e recordo-me de em tempos ter trabalhado durante dois meses no Verão para poder comprar os livros da escola porque as coisas estavam más, e lembro-me do que passei na altura, com um fulano mal encarado a cortar as peças com os moldes e o balancé, outro a fresear as bordas, e eu a passar cola de sapateiro nos bocadinhos todos para depois as gaspeadeiras juntarem as peças e cosê-las na máquina de gaspear, e depois de cosidas, queimar as pontas das linhas com uma vela, para depois passar as gáspeas para os sapateiros enfiarem nas formas e meterem os contrafortes para dar corpo ao sapato, e a seguir prendê-los às formas, pregados com preguinhos minúsculos, que eram retirados depois de os sapatos ou botas ou o que fosse ficarem a moldar-se dentro das formas durante vários dias, e a seguir meter os saltos, as viras, as palmilhas, as solas e afins, para a seguir lhes retirarem as formas e passá-los ao acabamento, para tirar os restos de cola, apertar fivelas, fechar fechos, enfiar e apertar os atacadores, e depois enfiar-lhes montinhos de papel para não amassarem e embrulhá-los em papel de seda para por fim serem enfiados nas caixas, e volto a perguntar-me quanto é que pagarão à mão-de-obra que fez aquelas botas verde-alface que custaram cinco euros...

Re: Botas verde-alface/

Posted: 03 Apr 2009 20:01
by Thanatos
Fogo! Não fazia ideia da trabalheira que era fazer botas! Pensei que já fosse tudo mecanizado.

Re: Botas verde-alface/

Posted: 03 Apr 2009 20:13
by White Rabbit
Thanatos wrote:Fogo! Não fazia ideia da trabalheira que era fazer botas! Pensei que já fosse tudo mecanizado.



Imagina então se forem botas de criança ou de bebé...

Re: Botas verde-alface/

Posted: 06 Apr 2009 17:43
by croquete
White Rabbit wrote:Este fim de semana comprei uma coisa que nunca pensei em comprar: um par de botas verde-alface. Encontrei-as numa loja de chineses mesmo no centro de Portalegre, e confesso que não me passaria pela cabeça comprar calçado dessa cor, o que raio usaria para combinar com umas botas verde-alface, bicudas e de salto alto, mas o preço fez-me decidir comprá-las, uns meros cinco euros, e é claro que sei que não irão durar muito, e que daqui a uns tempos hão-de estar completamente desfeitas, só que ainda assim trouxe-as para casa, e de cada vez que olho para elas ponho-me a pensar em como é possível uma coisa destas, quanto é que pagarão à mão-de-obra que fez aquele par de botas, cortar as peças, cosê-las, meter as gáspeas nas formas, colar as solas e os saltos e depois embalá-las, se os salários já são tão baixos, e recordo-me de em tempos ter trabalhado durante dois meses no Verão para poder comprar os livros da escola porque as coisas estavam más, e lembro-me do que passei na altura, com um fulano mal encarado a cortar as peças com os moldes e o balancé, outro a fresear as bordas, e eu a passar cola de sapateiro nos bocadinhos todos para depois as gaspeadeiras juntarem as peças e cosê-las na máquina de gaspear, e depois de cosidas, queimar as pontas das linhas com uma vela, para depois passar as gáspeas para os sapateiros enfiarem nas formas e meterem os contrafortes para dar corpo ao sapato, e a seguir prendê-los às formas, pregados com preguinhos minúsculos, que eram retirados depois de os sapatos ou botas ou o que fosse ficarem a moldar-se dentro das formas durante vários dias, e a seguir meter os saltos, as viras, as palmilhas, as solas e afins, para a seguir lhes retirarem as formas e passá-los ao acabamento, para tirar os restos de cola, apertar fivelas, fechar fechos, enfiar e apertar os atacadores, e depois enfiar-lhes montinhos de papel para não amassarem e embrulhá-los em papel de seda para por fim serem enfiados nas caixas, e volto a perguntar-me quanto é que pagarão à mão-de-obra que fez aquelas botas verde-alface que custaram cinco euros...


Acho que sei onde fica esta loja, por fora parece um edifício antigo fica junto a uns repuchos, até pensei que fosse a Câmara Municipal...por dentro (grande choque) é uma imensa loja chinesa...

Re: Botas verde-alface/

Posted: 06 Apr 2009 18:15
by azert
Coelhinho Branco, só para mostrar até onde podem ir os preconceitos, quando li este título não me atrevi a aventurar-me no texto, convencida de que iria encontrar algum parente distante de umas "Sandálias de prata" ou coisa do género. :blush:

Afinal, encontro um recanto que conheço superficialmente (bom, não é o mesmo, mas é semelhante), um atelier de uma loja de Braga - deveria antes preferir o termo português, mais apropriado ao local - nas traseiras de um edifício antigo, cheio de couros e colas e escasso de luz e arejamento.

Re: Botas verde-alface/

Posted: 07 Apr 2009 10:18
by pco69
White Rabbit wrote:(...)
volto a perguntar-me quanto é que pagarão à mão-de-obra que fez aquelas botas verde-alface que custaram cinco euros...

Pouco...muito pouco...mas eles estão satisfeitos porque têm trabalho...trabalho escravo, mas trabalho...lá não há nada parecido com a nossa segurança social...quem não tem trabalho, não come...e o membro da familia que trabalha (mesmo sendo criança), alimenta todos os parentes...