Page 1 of 1

Meninas do papá?

Posted: 31 Aug 2009 14:35
by White Rabbit
É no mínimo curioso que nunca ninguém tenha ouvido falar no pai da Cinderela, um fulano que deixou a desgraçada da filha nas garras da madrasta malvada e das duas meias-irmãs e pôs-se a andar para ir fazer sabe-se lá o quê, um pai como deve ser teria dito à mulher «ou tratas bem a minha filha ou ponho-te os patins», e o pai da Branca de Neve é outro que tal, como é possível que o tipo não soubesse o que a mulher andava a fazer, será que não sabia que a bruxa queria era limpar o sebo à garota, estaria assim tão cego pela mulher — sim, a madrasta da Branca de Neve era bonita, ao contrário do que o Walt Disney quis fazer crer —, dizia eu que estaria assim tão enfeitiçado pela beleza dela que não via as maldades que ela era capaz de fazer?, e o pai da Bela era outro que tal, que permitiu que o Monstro lhe ficasse com a filha para salvar a própria pele, o cobarde, enfim, estes pais dos contos de fadas saíram-me uns belos de uns palermas a permitirem que as filhas fossem maltratadas, massacradas, quase assassinadas — a troco de quê? —, e o engraçado disto é que estes contos foram adaptados por homens, os Grimm, o Perrault e outros que tais, adaptados de histórias que já existiam nos folclores de vários países, seria de esperar que como foram homens poderiam ter embelezado as coisas, tipo transformar um cobardolas que morre de medo da mulher num cavaleiro corajoso, mas não, não se deram a esse trabalho, e já agora onde anda o pai da Capuchinho, será que a miúda era órfã ou que quando apareceu o lobo o pai se escondeu debaixo da mesa a tremer de medo, e é pena que na altura não existisse nenhuma comissão de protecção de menores ou algo do género para proteger a Cinderela, a Branca e a Bela — bom, hoje existe e por vezes também não fazem nada — que pudesse arrancar as miúdas à guarda desses pais negligentes, enfim, mas vá lá que tudo acabou por se resolver e bem, apareceu o Príncipe e salvou a Cinderela e a Branca de Neve, e o Monstro transformou-se num quando o encantamento foi quebrado — e a Diana Spencer também deve ter esperado que o Carlos se transformasse mas não, coitada — e depois viveram felizes para sempre, dizem eles, e resta saber é se quando as jovens rainhas tiveram as respectivas criancinhas, se os Príncipes lhes mudavam as fraldas e os levavam a passear e brincaram com eles ou se fizeram como os desnaturados dos avôs, mas pronto, disso também ninguém fala...

Re: Meninas do papá?

Posted: 31 Aug 2009 14:38
by Anibunny
White Rabbit wrote:e resta saber é se quando as jovens rainhas tiveram as respectivas criancinhas, se os Príncipes lhes mudavam as fraldas e os levavam a passear e brincaram com eles ou se fizeram como os desnaturados dos avôs, mas pronto, disso também ninguém fala...



Eles tinham criados para alguma coisa! :wink:

Re: Meninas do papá?

Posted: 31 Aug 2009 14:46
by Gaminha
Xiii, a difamar os pais das meninas...

O Pai da Cinderela morreu (acho eu.)

A branca de neve teve azar, a madrasta alem de gira, devia ser boa na cama...

O pai da Bela e do monstro andava a ser enganado pelo outro gajo da aldeia... não viste o filme?

E no história do capuchinho foi tudo muito depressa, tudo no mesmo dia...

E depois como vês, tudo acaba bem! Elas casam todas com príncipes ricos e coisa e tal e vivem felizes para sempre, conclusão, os pais não são precisos! :mrgreen4nw:

Re: Meninas do papá?

Posted: 31 Aug 2009 16:34
by Pedro Farinha
White rabbit como sempre os teus textos têm tanto de original como de divertido e caustico.

Mas, enquanto pai, sinto-me na obrigação de defender a espécie. Como se pode vêr todo esse gajedo acabou nos braços de um príncipe. Será que a Bela teria ficado com um príncipe se o pai a tivesse impedido de ir ter com o monstro (na verdade foi mesmo ele que inicialmente foi ter com o monstro), e a Cinderela ? Teria causado tanta impressão ao príncipe se já fosse uma velha debutante ? Claro que não. O que estes pais fizeram, e be,, foi de forma subtil proporcionar que os acontecimentos se dessem. Aliás os pais são como os árbitros, quanto menos se der por eles melhor a sua prestação, mas se não existissem nada funcionava.

Ah, já agora quanto à outra ser boa na cama, tenho algumas dúvidas. A mim, quem sempre me excitou foi a Pocahontas :wub:

Re: Meninas do papá?

Posted: 31 Aug 2009 17:19
by azert
White Rabbit wrote:(...) estes pais dos contos de fadas saíram-me uns belos de uns palermas a permitirem que as filhas fossem maltratadas, massacradas, quase assassinadas — a troco de quê? (...)

(...) mas vá lá que tudo acabou por se resolver e bem, apareceu o Príncipe e salvou a Cinderela e a Branca de Neve, e o Monstro transformou-se num quando o encantamento foi quebrado — e a Diana Spencer também deve ter esperado que o Carlos se transformasse mas não, coitada — e depois viveram felizes para sempre, dizem eles(...)


Também no Polegarzinho o pai se deixa convencer pela mãe a abandonar os filhos para que a escassa comida possa chegar para o casal.  :rolleyes:


Não me surpreende que os ingénuos homens dos contos de fadas sejam sempre manipulados pelas perversas mulheres. Afinal, foram escritos por homens, não é?  :devil2:

Quanto à Diana, coitada, teve o azar de viver uma história real e nessas, como todos sabemos, há mais sapos que príncipes encantados.

Por último, considero os finais felizes indecentes (além de muito oportunos, pois evitam mostrar o que acontece depois dos casamentos), uma vez que levam as meninas a acreditar, não só que o casamento é o fim, mas também que aquele constitui a passagem para um mundo de felicidade contínua e imperecível. Está mal, está muito mal.

Re: Meninas do papá?

Posted: 31 Aug 2009 17:55
by Pedro Farinha
azert wrote:Por último, considero os finais felizes indecentes (além de muito oportunos, pois evitam mostrar o que acontece depois dos casamentos), uma vez que levam as meninas a acreditar, não só que o casamento é o fim, mas também que aquele constitui a passagem para um mundo de felicidade contínua e imperecível.


mode silly on

É caso para dizer que os casamentos nas histórias infantis (é o fim e depois é a felicidade eterna) é como a morte para os católicos. Dado que os católicos são dados a casarem-se, podemos concluir que a figura do marido deve ser encarada como Deus - aquele que faz companhia eterna depois do fim.

Continuando na mesma lógica, serei ainda obrigado a concluir que o divórcio é a ressurreição. Acaba-se o fim mas também a felicidade eterna. Agora o que é estranho é que os católicos são contra o divórcio mas existe pelo menos uma ressurreição que aplaudem.

mode silly off

Re: Meninas do papá?

Posted: 01 Sep 2009 09:57
by pedroi
Pedro Farinha wrote:
azert wrote:Por último, considero os finais felizes indecentes (além de muito oportunos, pois evitam mostrar o que acontece depois dos casamentos), uma vez que levam as meninas a acreditar, não só que o casamento é o fim, mas também que aquele constitui a passagem para um mundo de felicidade contínua e imperecível.


mode silly on

É caso para dizer que os casamentos nas histórias infantis (é o fim e depois é a felicidade eterna) é como a morte para os católicos. Dado que os católicos são dados a casarem-se, podemos concluir que a figura do marido deve ser encarada como Deus - aquele que faz companhia eterna depois do fim.

Continuando na mesma lógica, serei ainda obrigado a concluir que o divórcio é a ressurreição. Acaba-se o fim mas também a felicidade eterna. Agora o que é estranho é que os católicos são contra o divórcio mas existe pelo menos uma ressurreição que aplaudem.

mode silly off




Muito BOM, Pedro. :lol2: :lol2: :lol2: