Bride of Frankenstein

User avatar
Samwise
Realizador
Posts: 14973
Joined: 29 Dec 2004 11:46
Location: Monument Valley
Contact:

Re: Bride of Frankenstein

Postby Samwise » 23 Feb 2010 18:43

Thanatos wrote:Jasus!!! :blink: Um gajo está umas horas sem cá vir e onde já isto vai.

Assim vai-me ser dificílimo acompanhar a discussão porque se está a adotar o princípio de fazer citação de TODO o post anterior para depois ter apenas uma ou duas linhas de texto novo.
Penso que não custava muito citar apenas a parte importante para não obrigar a quem não tem acesso permanente a ler duas, três e quatro vezes a mesma coisa.



Um gajo entusiasma-se e dá nisto... :mrgreen: Mais tempo houvesse a extensão do texto estaria no dobro.

A coisa não está assim tão má - são raras as intervenções de resposta que se limitam a ums ou duas linhas. A grande maioria comenta e acrescenta novos pontos de vista em relação à matéria citada. Mas reconheço que num curto espaço de tempo o tópico cresceu em progressão geométrica... :angel:


Agora ao que interessa: não concordo com a visão única da annawen sobre o filme ser sobre a solidão do ser único. Essa é uma linha de leitura muito válida, tanto mais tendo em conta o subtexto gay que perpassa pelo filme (sendo aqui visto o gay enquanto minoria na sociedade) mas para mim não é a única sendo que o desejo de conhecimento, a vontade de progresso mesmo que descontrolado é um dos motores da intriga, senão mesmo O motor. Não é à toa que tal como Prometeu roubou o fogo dos deuses para o dar aos humanos também aqui Frankenstein «rouba» os relâmpagos para dar vida à sua criação.


Com isto é que eu não concordo nada. A vontade do progresso , no filme, é um tema relativamente secundário e insignificante face aos apontados pela annawen. Não deixa de estar presente, por força do tema, mas é coisa acaba por ser pouco focada.

------------

annawen, ainda não me referi aos actores, mas lá chegarei. Para já apenas posso dizer que não concordo com a tua opinião sobre a Elsa Lanchester nos poucos minutos que esteve em cena. O papel dela pode ser icónico, mas não creio que lhe tenha exigido grande esforço nem que dele tenha resultado uma grande interpretação. limitou-se a fazer o que lhe competia. Com o Karloff, a conversa é outra... :bow:
Guido: "A felicidade consiste em conseguir dizer a verdade sem magoar ninguém." -

Nemo vir est qui mundum non reddat meliorem?

My taste is only personal, but it's all I have. - Roger Ebert

- Monturo Fotográfico - Câmara Subjectiva -

User avatar
Thanatos
Edição Única
Posts: 13870
Joined: 31 Dec 2004 22:36
Contact:

Re: Bride of Frankenstein

Postby Thanatos » 23 Feb 2010 18:52

Samwise wrote:Com isto é que eu não concordo nada. A vontade do progresso , no filme, é um tema relativamente secundário e insignificante face aos apontados pela annawen. Não deixa de estar presente, por força do tema, mas é coisa acaba por ser pouco focada.



O que conduz à interessante questão do detrimento desse tema que é o principal no romance da Shelley a favor duma interpretação temática mais coincidente com o estilo gótico infundido de expressionismo/romantismo tão acalentado pelas plateias de então. Mais uma vez interrogo-te Samwise se chegaste a ouvir o comentário áudio do Scott McQueen. Há uns 3 posts que falo disso mas tenho merecido o silêncio. Se o refiro é por uma boa causa. :tu:

De qualquer forma mantenho que o coração do filme será a solidão do Monstro - e quem é aqui o Monstro? - é que a bem ver solitários são tanto criador como criatura; e note-se que o título é Bride of Frankenstein sendo que Frankenstein NÃO é o Monstro enquanto que o cérebro do filme é o Pretorius e a sua vontade de prosseguir as experiências de Criação. O roubar aos deuses o segredo da criação sem sexo é o espelho definitivo duma Ciência que se pensa acima da espiritualidade.
Não importa como, não importa quando, não importa onde, a culpa será sempre do T!

-- um membro qualquer do BBdE!

User avatar
Samwise
Realizador
Posts: 14973
Joined: 29 Dec 2004 11:46
Location: Monument Valley
Contact:

Re: Bride of Frankenstein

Postby Samwise » 23 Feb 2010 19:12

Thanatos wrote:
Samwise wrote:Com isto é que eu não concordo nada. A vontade do progresso , no filme, é um tema relativamente secundário e insignificante face aos apontados pela annawen. Não deixa de estar presente, por força do tema, mas é coisa acaba por ser pouco focada.


O que conduz à interessante questão do detrimento desse tema que é o principal no romance da Shelley a favor duma interpretação temática mais coincidente com o estilo gótico infundido de expressionismo/romantismo tão acalentado pelas plateias de então. Mais uma vez interrogo-te Samwise se chegaste a ouvir o comentário áudio do Scott McQueen. Há uns 3 posts que falo disso mas tenho merecido o silêncio. Se o refiro é por uma boa causa. :tu:


Não, ainda não ouvi. Sabes que não tenho muita paciência para esses comentários, mas se consideras que é interessante a ponto de me cativar, irei fazê-lo num futuro próximo - algures depois de alguém devolver os DVD's à biblioteca... :D

De qualquer forma mantenho que o coração do filme será a solidão do Monstro - e quem é aqui o Monstro? - é que a bem ver solitários são tanto criador como criatura; e note-se que o título é Bride of Frankenstein sendo que Frankenstein NÃO é o Monstro enquanto que o cérebro do filme é o Pretorius e a sua vontade de prosseguir as experiências de Criação. O roubar aos deuses o segredo da criação sem sexo é o espelho definitivo duma Ciência que se pensa acima da espiritualidade.


A solidão da criatura face a um mundo sobre o qual desconhece as regras e códigos e que a marginaliza sem ela entender porquê. O monstro, nesta vertente, só pode ser um.

Mas o monstro no sinónimo de "mal" é de facto outro.

O Pretorius é a representação do mal, mas não chego a compreender bem qual é o seu verdadeiro propósito enquanto homem/cientista e o que é que ele pretende atingir com a criação da noiva. Fama? Reconhecimento? Re-integração junto dos seus pares (sendo que ele era um cientista proscrito devido às sua ideias revolucionárias, um pouco à semelhança do Frankenstein) ? A postura dele é claramente interesseira e não olha a meios para atingir os fins. Neste aspecto há uma clara diferenciação para com o Frankenstein, já que este último ia buscar os cadáveres ao cemitério para construir os novos seres e o Pretorius não hesitava em matar para obter "peças" mais frescas...
Guido: "A felicidade consiste em conseguir dizer a verdade sem magoar ninguém." -

Nemo vir est qui mundum non reddat meliorem?

My taste is only personal, but it's all I have. - Roger Ebert

- Monturo Fotográfico - Câmara Subjectiva -

User avatar
Anibunny
Edição Única
Posts: 2814
Joined: 10 Jun 2009 23:11
Location: Porto
Contact:

Re: Bride of Frankenstein

Postby Anibunny » 23 Feb 2010 19:47

9. Grandes cenários (as escadas, a torre, o laboratório). Grande fotografia (para além do que já falei, a filmagem da electricidade). Grande maquilhagem.


desculpem a minha ignorância, mas o que é fotografia mesmo?... no contexto do cinema está claro <_<

Podem-me matar à vontade, sei que sou uma ignorante a nível de cinema

User avatar
Thanatos
Edição Única
Posts: 13870
Joined: 31 Dec 2004 22:36
Contact:

Re: Bride of Frankenstein

Postby Thanatos » 23 Feb 2010 20:06

No contexto de cinema fotografia é a designação do que tu vês no ecrã. Tendo em conta que um filme não são mais que fotografias projectadas à velocidade de 24 fotogramas por segundo para criar a ilusão de movimento, a fotografia é o acto de fixar em película esses fotogramas. ;)

Daí existir uma posição que é o director de fotografia que basicamente é um tipo que percebe imenso de iluminação, composição, lentes, câmaras, etc.


E não és ignorante. Apenas deve ser assunto que não te interessa. O que seria da wikipedia se todos soubéssemos tudo. :devil:
Não importa como, não importa quando, não importa onde, a culpa será sempre do T!

-- um membro qualquer do BBdE!

User avatar
annawen
Livro Raro
Posts: 1953
Joined: 18 Jan 2006 11:34
Location: Gaia
Contact:

Re: Bride of Frankenstein

Postby annawen » 23 Feb 2010 20:08

Samwise wrote:O Pretorius é a representação do mal, mas não chego a compreender bem qual é o seu verdadeiro propósito enquanto homem/cientista e o que é que ele pretende atingir com a criação da noiva.


Parece-me que os motivos são claros: quer ser Deus. Daí o brinde: "To a new era of Gods and Monsters". Parece-me óbvio que ele se vê a si próprio como fazendo parte dos novos deuses que irão surgir. Esses novos deuses provavelmente serão os cientistas.

Thanatos wrote:O roubar aos deuses o segredo da criação sem sexo é o espelho definitivo duma Ciência que se pensa acima da espiritualidade.


Concordo. O que Pretorius quer é substituir a religião pela Ciência. Quer matar Deus. Criar vida a partir de fórmulas científicas que podem mais tarde ser reproduzidas é retirar tudo o que há de mistério no nascimento humano, toda a espiritualidade, como disse o Thanatos. Se olharmos para o filme sob o ponto de vista do Dr Pretorius realmente o filme segue o tema de Prometeu, se bem que este é um Prometeu que não tem intenções de ajudar a humanidade mas sim colocar-se no lugar dos deuses. E também podemos nos interrogar sobre que tipo de ciência está ele a utilizar. Quando ele mostra as miniaturas ao Frankenstein, a reacção deste é de horror, e diz que aquilo não é ciência mas sim magia negra. O Dr Pretorius admite, no início dessa cena, que não sabe como explicar aquelas criaturas. E parece-me sintomático que ele as tenha criado como se fossem plantas. Em vez de serem compostas de várias partes do corpo humano, as criaturas cresceram como plantas, de uma forma "natural". Logo estão mais perto de uma criação divina do que propriamente de uma criação científica.

Também não é por acaso que uma das criaturas é o diabo.
Last edited by annawen on 24 Feb 2010 11:46, edited 1 time in total.

User avatar
Samwise
Realizador
Posts: 14973
Joined: 29 Dec 2004 11:46
Location: Monument Valley
Contact:

Re: Bride of Frankenstein

Postby Samwise » 24 Feb 2010 11:27

Aaahhh, muito bem visto annawen. :tu:

Essa sequência das miniaturas está a habilitar-se a ser minuciosamente dissecada.

Nestes dois ou três dias de "conversatório" já deu para ficar com uma noção bem mais profunda sobre o filme e o seu substrato, e ainda ficaram bastantes pontas soltas por onde reatar a discussão. ;)

Vou calar-me durante um tempito e depois voltarei com novas ideias e conteúdos. (já agora espero pela MAGG, que é para ela não me ficar com os azeites :mrgreen:)
Guido: "A felicidade consiste em conseguir dizer a verdade sem magoar ninguém." -

Nemo vir est qui mundum non reddat meliorem?

My taste is only personal, but it's all I have. - Roger Ebert

- Monturo Fotográfico - Câmara Subjectiva -

User avatar
Samwise
Realizador
Posts: 14973
Joined: 29 Dec 2004 11:46
Location: Monument Valley
Contact:

Re: Bride of Frankenstein

Postby Samwise » 24 Feb 2010 11:34

Anibunny wrote:
9. Grandes cenários (as escadas, a torre, o laboratório). Grande fotografia (para além do que já falei, a filmagem da electricidade). Grande maquilhagem.


desculpem a minha ignorância, mas o que é fotografia mesmo?... no contexto do cinema está claro <_<

Podem-me matar à vontade, sei que sou uma ignorante a nível de cinema



Thanatos wrote:No contexto de cinema fotografia é a designação do que tu vês no ecrã. Tendo em conta que um filme não são mais que fotografias projectadas à velocidade de 24 fotogramas por segundo para criar a ilusão de movimento, a fotografia é o acto de fixar em película esses fotogramas. ;)

Daí existir uma posição que é o director de fotografia que basicamente é um tipo que percebe imenso de iluminação, composição, lentes, câmaras, etc.


E não és ignorante. Apenas deve ser assunto que não te interessa. O que seria da wikipedia se todos soubéssemos tudo. :devil:


Desculpem o Off-topic.

Ani, lê isto: http://en.wikipedia.org/wiki/Cinematography

Há inclusivamente um Oscar específico para premiar a fotografia nos filmes.

Não sei porquê, mas gosto bastante mais do termo "cinematografia" em português para designar a fotografia no cinema. Nem sei se o termo é adequado para aquilo que tenho em mente e se pela tradução directa/estrangeirismo se pode falar desta forma, mas parece fazer sentido.
Guido: "A felicidade consiste em conseguir dizer a verdade sem magoar ninguém." -

Nemo vir est qui mundum non reddat meliorem?

My taste is only personal, but it's all I have. - Roger Ebert

- Monturo Fotográfico - Câmara Subjectiva -

User avatar
Thanatos
Edição Única
Posts: 13870
Joined: 31 Dec 2004 22:36
Contact:

Re: Bride of Frankenstein

Postby Thanatos » 24 Feb 2010 12:39

Eu propunha uma trégua na discussão deste filme (até porque ainda não encontrei o raio do artigo sobre o Karloff :pissed: ) para que a MAGG se possa juntar a nós (salvo seja) e acompanhar-nos na dissecação do filme.

Noutro sentido estou a gostar da participação que tem ido mais além do mero gosto/desgosto. Assim dá gosto. :tu:

E lembrem-se que as opiniões são para discutir. Isto não é uma assembleia de Yes (wo)men. Nem todos temos de concordar com tudo o que os outros dizem senõ nem valia a pena abrir estas discussões.

Finalmente, mesmo quem não esteja interessado em participar no ciclo todo pode sempre arrotar a sua posta de pescada que era o que eu volta e meia fazia nos outros ciclos. :whistle:
Não importa como, não importa quando, não importa onde, a culpa será sempre do T!

-- um membro qualquer do BBdE!

User avatar
Thanatos
Edição Única
Posts: 13870
Joined: 31 Dec 2004 22:36
Contact:

Re: Bride of Frankenstein

Postby Thanatos » 27 Feb 2010 22:14

Podemos então contar hoje com a MAGG e o Sharky? :unsure:
Não importa como, não importa quando, não importa onde, a culpa será sempre do T!

-- um membro qualquer do BBdE!

User avatar
Anibunny
Edição Única
Posts: 2814
Joined: 10 Jun 2009 23:11
Location: Porto
Contact:

Re: Bride of Frankenstein

Postby Anibunny » 27 Feb 2010 23:25

Eu vou rever amanhã, depois de estudar um pouco os termos de cinema pela wikipedia :devil: e quando o Sharky e a MAGG se juntarem começo a atirar batatas :whistle:

User avatar
Sharky
Edição Única
Posts: 4587
Joined: 19 Jun 2008 00:04
Location: Margem Sul
Contact:

Re: Bride of Frankenstein

Postby Sharky » 27 Feb 2010 23:37

O Sharky está a aguardar pela disponibilidade do Gray que me vai emprestar os filmes, podem continuar que depois venho aqui lançar postas de pescada acerca do filme :D

User avatar
Bubbles
Livro Raro
Posts: 1994
Joined: 29 Dec 2004 18:33
Location: Halifax
Contact:

Re: Bride of Frankenstein

Postby Bubbles » 28 Feb 2010 03:48

Acabei agora de ver ^_^

O que me marcou mais no filme foram as noções de solidão e de preconceito. O monstro apenas foi aceite pelo cego, porque não pode perceber a sua diferença. E essa aceitação acabou por lhe custar a casa. Nao sei ate que ponto esse facto não apontara para a noção de que quem ajuda alguém diferente pode dar-se mal.

A altura em que o monstro percebeu a noção de amigo foi tocante. E percebe-se como ele foi tão facilmente manipulado pelo Pretorius a persuadir o Frankenstein na criação de uma companheira. A forma como ela o rejeita e dolorosa e quebra a esperança do monstro em poder estar com alguém que o compreenda. Solidão. Algo que ele nao conseguia mais tolerar.

Gostei, definitivamente :)
"Não sou obrigada a jurar obediência às palavras de qualquer mestre" Horácio
"Um coração saudável tem um comportamento caótico"
Joana Augusto's Flick Photostream *** The Ground Beneath My Feet

User avatar
MAGG
Livro Raro
Posts: 2010
Joined: 11 Sep 2009 13:26
Location: Mar de Dentro ...
Contact:

Re: Bride of Frankenstein

Postby MAGG » 28 Feb 2010 23:52

Finalmente consegui ver a sequela do Frankenstein. :)

A prestação do Karloff nunca deixa de me surpreender. Como é que um actor com carradas de cera nas palpebras consegue transmitir uma tal extensão emocional facialmente ? :bow: muito bom mesmo.

O jogo de luz/ sombra ( já referido anteriormente ), os planos oblíquos ( características do caligarismo se não estou em erro ) acrescentam bastante dramatismo às cenas. Aqui o efeito "a preto e branco" assume-se como a linguagem estética mais adequada para enquadrar e aumentar toda esta intensidade .
O que me faz questionar como é que existem pessoas que detestam ver filmes a preto e branco ? Nunca conseguiria imaginar este a cores :X .

Considero também que a temática abordada tem muito a ver com questões referentes à relação do Homem com as regras da Natureza e como o mesmo tenta rodeá-las na forma como é abordada a questão da aceitação / rejeição social por quem é diferente da "alcateia" e como o Monstro tenta inúmeras vezes a re aproximação.
Além disso a fabricação de "vida" de uma forma não natural , a partir da morte , também é um deturpar intencional das mesmas .

Por outro lado, se o facto da aceitação/ rejeição se prende com regras naturais inerentes a todos os seres "vivos", a forma como a "companheira" (como a Bubbles descreve anteriormente ) rejeita o Monstro é incompreensivel por esse mesmo ponto de vista ( o natural ). A mesma acaba de "nascer" logo o natural seria associar-se aos primeiros seres segundo uma confiança parental ou no mínimo a expressão associada seria a de confusão. A rejeição é baseada em quê ? Na sua "fealdade"? Então nesta situação temos que contar que existem de facto memórias residuais da vida anterior do cérebro da companheira , pois o conceito de beleza e fealdade não é inato sendo uma grande componente incutida através da sociedade envolvente.

Finalmente ao aperceber-se que a solidão é mesmo a sua única companheira aí sim, assume o acto presente em todos os animais sociais solitários
Spoiler! :
e deixa-se morrer.


É um filme muito bom ... para ver e rever.

User avatar
MAGG
Livro Raro
Posts: 2010
Joined: 11 Sep 2009 13:26
Location: Mar de Dentro ...
Contact:

Re: Bride of Frankenstein

Postby MAGG » 01 Mar 2010 00:05

Outra coisa : diverti-me a ver a Una O'Connor ( se bem que desenquadrada neste filme) porque lembrou-me a sua prestação ( num registo muito semelhante) no papel de aia de Maid Marion :D.

Factos engraçados sobre o Boris que não conhecia :

http://classicmoviesdigest.blogspot.com ... -know.html

( off topic )

(já agora espero pela MAGG, que é para ela não me ficar com os azeites ) ... Sam isso nunca aconteceria. :angel:

para que a MAGG se possa juntar a nós (salvo seja) e acompanhar-nos na dissecação do filme...

:hug: fiquei emocionada ...


p.s. "(...)irei fazê-lo num futuro próximo - algures depois de alguém devolver os DVD's à

biblioteca... (...) " :( Sam o dito dvd encontra-se "desaparecido" . :angel: O Engraçado é que também o do Frankenstein não "apareceu" . Além disso a mesma biblioteca tem O Camus como autor especial esta semana. ... hum :whistle: tantas coincidências ... ou talvez não ...


Return to “3 - Monstros”




  Who is online

Users browsing this forum: No registered users and 2 guests

cron