Hyperion & Fall of Hyperion - Dan Simmons

User avatar
Samwise
Realizador
Posts: 14973
Joined: 29 Dec 2004 11:46
Location: Monument Valley
Contact:

Hyperion & Fall of Hyperion - Dan Simmons

Postby Samwise » 21 Jan 2005 13:03

On the world called Hyperion, beyond the law and the reach of twenty-eighth-century science, waits the creature called the Shrike. There are those who worship it. There are those who fear it. And there are those who have vowed to destroy it. In the Valley of the Time Tombs the Shrike waits for them all. On the eve of Armageddon, with the entire galaxy at war, seven pilgrims set forth on a final voyage to the Time Tombs. They seek the answers to the unsolved riddles of their lives, and they have resolved to die before discovering anything less than the secrets of the universe itself.


Este resumo é a descrição da Amazon para o primeiro livro. Devo dizer que a separação da obra em dois livros é desnecessária, sendo que o segundo é a continuação directa do primeiro, com uma mudança de primeira pessoa.

Esta foi uma das grandes obras de ficção científica que tive oportunidade de ler. Escrito com uma habilidade extrema (restrita a grandes autores), consegue conciliar o melhor de vários mundos: a sci-fi, a religião, a poesia e uma história que tem tanto de intrigante como de apaixonante.
Para além disso é livro que fervilha de ideias e soluções!
Temos a raça humana dividida em duas grandes facções: aqueles que acolheram a inteligência-artificial como algo inseparável do desenvolvimento e aqueles que a rejeitaram (os 'spacers'), em detrimento do desenvolvimento biológico evolucional.
As duas facções degladiam-se pela posse de um planeta: Hyperion. Neste planeta reside uma criatura mítica e brutal que pode conter em si alguns segredos para a explicação do próprio universo. Um grupo de peregrinos, criteriosamente escolhido, dirige-se em direcção ao local onde espaço e tempo parecem fundir-se e onde a criatura habita. Cada um deles tem a suas razões pessoais.
Para adensar a intriga, existem ainda interesses por parte da entidade "inteligência-artificial", de grupos religiosos extremistas e de uma personagem que parece ser um andróide com vida humana e com a alma de um poeta famoso (?!).
Eis uma das ideias descritas no livro. Já todos vós ouviram falar em teletransporte.. acho que a ideia em si não é nova. Agora ouçam o desenvolvimento prático da ideia no livro:
Imaginem que a raça humana já se expandiu para muitos locais do universo (estamos no séc. 28)... existem portais espalhados por tudo quanto é sítio a "conectarem", em tempo real, muitos dos destinos e localizações. Por exemplo, existem portais a fazerem os rios passarem por vários planetas, existem portais a conjugar várias divisões de casas (imaginem que o quarto tinha vista panorâmica para o rio Tejo, enquanto que a sala tinha vista panorâmica para uma cratera em Marte e o WC ficava suspenso sobre uma falésia num outro planeta qualquer...)! Já para não falar da sua utilização mais prática... a deslocação de pessoas e objectos através do universo só por atravessarem uma porta.

Para quem é fã de FC, não perder estes dois livros!

Já os li há cerca de três anos e acho que nunca os vou esquecer!

Sam
Guido: "A felicidade consiste em conseguir dizer a verdade sem magoar ninguém." -

Nemo vir est qui mundum non reddat meliorem?

My taste is only personal, but it's all I have. - Roger Ebert

- Monturo Fotográfico - Câmara Subjectiva -

User avatar
Thanatos
Edição Única
Posts: 13870
Joined: 31 Dec 2004 22:36
Contact:

Re: Hyperion & Fall of Hyperion

Postby Thanatos » 21 Jan 2005 13:17

E a continuação já leste? Endymion e Rise of Endymion. E o mais recente dele Ilium? São tudo bons livros. Aliás do Simmons são raros os livros que eu não gostei.
Não importa como, não importa quando, não importa onde, a culpa será sempre do T!

-- um membro qualquer do BBdE!

User avatar
Samwise
Realizador
Posts: 14973
Joined: 29 Dec 2004 11:46
Location: Monument Valley
Contact:

Re: Hyperion & Fall of Hyperion

Postby Samwise » 21 Jan 2005 13:28

O "Endymion" e o "Rise of..." não li!

A pessoa que me aconselhou o "Hyperion" disse-me que esses dois eram interressantes mas ficavam muito aquém dos dois primeiros.
Julguei que era uma outra história. A história do "Hyperion" aparentemente, acaba no segundo volume.

Quanto ao "Ilium"... está na minha mira!

Sam

P.S. Não sei onde é que li... mas o Simmons diz que para escrever um livro desses não basta só o talento. Tem que se ler e conhecer muita coisa. Tem que se ter um conhecimento literário enciclopédico. Isso nota-se no "Hyperion". É uma conjugação magistral de muitas influências.
Guido: "A felicidade consiste em conseguir dizer a verdade sem magoar ninguém." -

Nemo vir est qui mundum non reddat meliorem?

My taste is only personal, but it's all I have. - Roger Ebert

- Monturo Fotográfico - Câmara Subjectiva -

User avatar
Thanatos
Edição Única
Posts: 13870
Joined: 31 Dec 2004 22:36
Contact:

Re: Hyperion & Fall of Hyperion

Postby Thanatos » 21 Jan 2005 13:58

Samwise wrote: (...)A pessoa que me aconselhou o "Hyperion" disse-me que esses dois eram interressantes mas ficavam muito aquém dos dois primeiros.
(...)

Então aqui vai outro conselho: lê por ti e tira as tuas próprias conclusões ;)

E sim, são mesmo continuações tanto assim que Dan Simmons designa a tetralogia por The Hyperion Cantos.
Não importa como, não importa quando, não importa onde, a culpa será sempre do T!

-- um membro qualquer do BBdE!

User avatar
Thanatos
Edição Única
Posts: 13870
Joined: 31 Dec 2004 22:36
Contact:

Re: Hyperion & Fall of Hyperion

Postby Thanatos » 28 Nov 2006 21:43

[img]http://img.photobucket.com/albums/v240/Thanabur/hyperion.gif[/img] [img]http://img.photobucket.com/albums/v240/Thanabur/fall_hyperion.gif[/img]

O bom - ou mau, depende do ponto de vista - das releituras é que os livros adquirem outra dimensão e a leitura torna-se mais crítica. Passada que é a vontade de conhecer a trama o leitor foca a atenção nos maneirismos de escrita, nas várias vozes do autor e na estrutura geral dos romances. Por vezes aquilo que parecia perto duma obra-prima revela-se afinal ter apenas um bonito papel de embrulho mas muito pouca substância. Não será assim com todos os livros - ainda hoje o Dune me surpreende a cada releitura e continuo a deleitar-me com a série do Mundo do Rio - mas infelizmente assim sucedeu com Hyperion e The Fall of Hyperion de Dan Simmons.

Hyperion, editado originalmente em 1990 foi vencedor do prémio Hugo para melhor romance desse ano e é o típico romance que estabelece as personagens e monta o palco para o denouement do segundo volume. Não é à toa que mais de metade de Hyperion é devotada às histórias de cada um dos peregrinos na última peregrinação ao Vale dos Túmulos no planeta Hyperion. Esta estrutura confere ao romance um tom episódico e é em grande parte responsável pelo maior interesse que este volume tem em comparação com o subsequente que opta por uma estrutura mais tradicional de space opera com enormes batalhas estelares travadas entre forças sem face usando armas para além da compreensão humana.

The Fall of Hyperion é o atar das pontas soltas deixadas ao longo de Hyperion e novamente noto que Dan Simmons peca por manter o suspense e os enigmas demasiado tempo sem resolução optando por um clímax algo apressado e que se despacha em três ou quatro capítulos seguindo-se uma vintena de páginas de resolução que pouco ou nada acrescentam.

Como já vai sendo habitual nos megavolumes de autores consagrados a edição é praticamente inexistente. Pequenos pormenores distraíram-me arrancando-me da sempre tão necessária suspensão da descrença vital para romances de FC. É o caso de ao longo de vários capítulos Sol Weintraub alimentar a sua filha com «the last of the nursing paks» ou Paul Duré que sustém queimaduras de segundo grau num capítulo sendo que alguns adiante já são de terceiro grau.

A igreja cultista dos Últimos Dias, também conhecida como Culto do Shrike escolhe sete peregrinos para regressarem ao planeta Hyperion e embarcarem na última peregrinação ao Vale dos Túmulos onde misteriosos artefactos que viajam para trás no tempo estão prestes a abrir-se. Cada um dos peregrinos tem a sua secreta agenda que o motiva a visitar novamente o planeta Hyperion, que embora não pertencendo à vasta rede da Hegemonia Humana está em vias de ser integrado na mesma. Esta integração, no entanto, fará despoletar um ataque dos Ousters, pós-humanos mutantes que vivem em Enxames que vagueiam na periferia da galáxia conhecida.

A ligar todos estes mundos estão os farcasters, portais de teletransporte cedidos pelo TechnoCore, um aglomerado de Inteligências Artificiais que aparentemente também têm a sua agenda secreta no que concerne a Hyperion.

É no meio de traições, desaparecimentos misteriosos, assassinatos a cíbridos, uma espécie de ciborgue, que reencarnam a essência do poeta John Keats (não é de estranhar que a personagem com o ponto de vista dum narrador omnisciente seja uma reconstrução elaborada do referido poeta tendo em conta que foi o inacabado poema dele que sugeriu o nome ao planeta), a sempre presente ameaça do Shrike e os dilemas postos perante um pai, que vamos vendo o desenrolar duma vasta tapeçaria que envolve todo um império de hedonistas humanos à beira do colapso iminente.

Factos que pareciam cruciais em Hyperion revelam-se Maguffins literários em The Fall of Hyperion o que pode ser uma espada de dois gumes dependendo da tolerância do leitor para ser deliberadamente «enganado» pelo autor. Nesta releitura essa tolerância estava no grau zero pelo que me irritou profundamente a manipulação autorial com argumentos que, mais bem trabalhados poderiam, em última análise, terem sido mais eficazes.

Outro ponto que não me satisfez por completo e que muitas das vezes são armadilhas para os autores que colocam os enredos em futuros distantes foram as constantes referências a elementos da cultura popular do século XX. Custa-me a crer que duas personagens conhecessem tão prontamente o tema musical “Somewhere Over the Rainbow”, quando mesmo hoje em dia poucos são os que ouvem esse tema. Além disso Meina Gladstone CEO da hegemonia baseia os seus discursos em políticos como Churchill. Custa-me a crer que em tantos milhares de anos não houvesse outras fontes mais recentes em que basear os apelos retóricos. Mas concedo que este problema não é particular a Dan Simmons e por bastantes vezes já li outros autores que caem na mesma armadilha ao procurarem referenciais familiares aos leitores.

Ao que me consta Hyperion chegou a ser traduzido para português para uma publicação que até hoje nunca viu a luz do dia. Foi pena que tal não acontecesse há pelo menos dez anos atrás tendo em conta que hoje em dia e dada a multiplicidade de novos romances da chamada new space opera, Hyperion perdeu muita da frescura que trazia e poderá até parecer algo retro nas ideias políticas defendidas amiúde pelo seu autor que não consegue deixar de transparecer uma certa animosidade para com as culturas muçulmanas.

Pesem embora os defeitos aparentes e não tão aparentes destas duas obras e mais que não seja numa perspectiva histórica (afinal foi com estes romances que se iniciou em parte a renascença do fenómeno space opera) recomendo a sua leitura para quem tenha um pouco de interesse em romances de Fc na linha de um Dune ou duma série Fundação, salvaguardando as devidas e respeitosas distâncias.

Se no entanto prefere ocupar o seu tempo com algo mais moderno recomendo os mais recentes romances de Alastair Reynolds que conseguem ser tudo aquilo que Hyperion deveria ter sido e mais ainda.
Não importa como, não importa quando, não importa onde, a culpa será sempre do T!

-- um membro qualquer do BBdE!

User avatar
Samwise
Realizador
Posts: 14973
Joined: 29 Dec 2004 11:46
Location: Monument Valley
Contact:

Re: Hyperion & Fall of Hyperion

Postby Samwise » 30 Nov 2006 14:17

Guido: "A felicidade consiste em conseguir dizer a verdade sem magoar ninguém." -

Nemo vir est qui mundum non reddat meliorem?

My taste is only personal, but it's all I have. - Roger Ebert

- Monturo Fotográfico - Câmara Subjectiva -

User avatar
Thanatos
Edição Única
Posts: 13870
Joined: 31 Dec 2004 22:36
Contact:

Re: Hyperion & Fall of Hyperion

Postby Thanatos » 30 Nov 2006 20:10

Gene spliced :tongue: Ando mesmo distraído com isto.
Não importa como, não importa quando, não importa onde, a culpa será sempre do T!

-- um membro qualquer do BBdE!

User avatar
Samwise
Realizador
Posts: 14973
Joined: 29 Dec 2004 11:46
Location: Monument Valley
Contact:

Re: Hyperion & Fall of Hyperion

Postby Samwise » 05 Dec 2006 11:42

Quando li esses dois livros, e foi um a seguir ao outro, fiquei com a ideia de que o segundo, para além de ser um "atar das pontas soltas", era quase uma espécie "baralhar os cartas e voltar a dar", uma repetição de muita coisa que já aparecia no primeiro... e que em relação a este, estava uns patamares abaixo em termos de qualidade.

Mesmo assim, acho que não vale a pena pensar em que são dois livros distintos. História só acaba mesmo no final do segundo volume (e depois ainda vêm os "Endymion"). Ler o Hyperion sem ler a continuação é ficar mesmo a ver navios...

Em relação à tua re-leitura... acho que não vou re-ler estes livros. Quero recordá-los como uma das obras-primas do género Sci-Fi. Foram uma leitura muito revigorante.

Sam
Guido: "A felicidade consiste em conseguir dizer a verdade sem magoar ninguém." -

Nemo vir est qui mundum non reddat meliorem?

My taste is only personal, but it's all I have. - Roger Ebert

- Monturo Fotográfico - Câmara Subjectiva -

User avatar
Thanatos
Edição Única
Posts: 13870
Joined: 31 Dec 2004 22:36
Contact:

Re: Hyperion & Fall of Hyperion

Postby Thanatos » 05 Apr 2008 13:02

Producer Graham King has set up Dan Simmons' award-winning science fiction book series "Hyperion Cantos" at Warner Bros., with Trevor Sands on board to adapt the first two books as one feature. King is producing via his GK Films banner.

King acquired the rights to the series several years ago, but its structure, inspired by Boccaccio's "Decameron" and Chaucer's "Canterbury Tales," and its multiple timelines made the task of adapting it into a feature unwieldy and challenging.

Brought in by GK Films' Grey Rembert and Gail Lyon, Sands won over the execs by taking a selective approach to the two novels' multiple points of view in a way that managed to coherently and unconfusingly tell the story.


Lynn Harris is overseeing at Warners.

Sands co-wrote and directed the 2002 indie "Inside," starring Jeremy Sisto. Other writing credits include the Sony sci-fi project "Resurrection," Dimension's "Six Billion Dollar Man" and an adaptation of David Brin's sci-fi novel "Startide Rising" for Paramount and producer Mace Neufeld.


Fonte: The Hollywood Reporter

E que tal começarmos as apostas? Vai ser boa porcaria ou má porcaria?

E quem seria mais indicado para os papéis de Consul, Sol Weintraub, Silenus (o meu preferido :tongue:), Brawne Lamia, Hassad e claro, Shrike?

Corre por aí que a tradução portuguesa do livro que estaria para ser publicado pela Devir tinha como Shrike o Picanço. Num único termo capturava-se a verdadeira essência da máquina.

Aqui fica o link de INSiDE, a curta escrita, realizada e produzida por Trevor Sands: http://web.mac.com/tsands/iWeb/SHORTFILM/INSiDE.html
Não importa como, não importa quando, não importa onde, a culpa será sempre do T!

-- um membro qualquer do BBdE!

carlnen
Panfleto
Posts: 24
Joined: 25 Dec 2007 14:10
Contact:

Re: Hyperion & Fall of Hyperion

Postby carlnen » 05 Apr 2008 19:05

Thanatos wrote:Corre por aí que a tradução portuguesa do livro que estaria para ser publicado pela Devir tinha como Shrike o Picanço. Num único termo capturava-se a verdadeira essência da máquina.


O interessante é que picanço é a tradução literal de shrike. Trata-se de um pássaro cujo método de armazenar comida para mais tarde é espetar as presas contra os espinhos das flores e deixá-las ali dependuradas... existem várias variedades no Alentejo. Quem leu o livro entende a referência.

É uma pena que tenhamos desvirtuado o termo... sempre quero ver o que vai fazer a malta da legendagem quando o filme estrear... :smile:

C

User avatar
Thanatos
Edição Única
Posts: 13870
Joined: 31 Dec 2004 22:36
Contact:

Re: Hyperion & Fall of Hyperion

Postby Thanatos » 05 Apr 2008 19:46

Precisamente, carlnen. A ironia é que o pássaro em si é dum aspecto perfeitamente inofensivo ao passo que o Shrike...

Quanto à legendagem arrisco que deixem ficar como Shrike ou na "melhor" das hipóteses entregam o trabalho a um daqueles surdos que acaba por traduzir como altar.
Não importa como, não importa quando, não importa onde, a culpa será sempre do T!

-- um membro qualquer do BBdE!

User avatar
Samwise
Realizador
Posts: 14973
Joined: 29 Dec 2004 11:46
Location: Monument Valley
Contact:

Re: Hyperion & Fall of Hyperion

Postby Samwise » 07 Apr 2008 13:17

Thanatos wrote:
Brought in by GK Films' Grey Rembert and Gail Lyon, Sands won over the execs by taking a selective approach to the two novels' multiple points of view in a way that managed to coherently and unconfusingly tell the story.


E que tal começarmos as apostas? Vai ser boa porcaria ou má porcaria?



Selective approach???? Está tudo lixado!

Sam
Guido: "A felicidade consiste em conseguir dizer a verdade sem magoar ninguém." -

Nemo vir est qui mundum non reddat meliorem?

My taste is only personal, but it's all I have. - Roger Ebert

- Monturo Fotográfico - Câmara Subjectiva -

User avatar
pco69
Cópia & Cola
Posts: 5487
Joined: 29 Apr 2005 23:13
Location: Fernão Ferro
Contact:

Re: Hyperion & Fall of Hyperion

Postby pco69 » 31 Dec 2008 18:00

Acabei ontem à noite os dois (reduzidos a um único) livros em questão.

Tendo sido o meu primeiro calhamaço lido em lingua bife, tenho a referir que alguns dos termos, sobretudo ao inicio, são dificeis de apanhar, mas depois, com o desenrolar da história, a coisa passa e esses termos são pura e simplesmente, ignorados...

Em relação à obra em si, eu estou com o Samwise. Não me chateia que o Duré tenha aumentado as queimaduras de um capitulo para o outro.

Thanatos wrote:(...)

Ao que me consta Hyperion chegou a ser traduzido para português para uma publicação que até hoje nunca viu a luz do dia. Foi pena que tal não acontecesse há pelo menos dez anos atrás tendo em conta que hoje em dia e dada a multiplicidade de novos romances da chamada new space opera, Hyperion perdeu muita da frescura que trazia e poderá até parecer algo retro nas ideias políticas defendidas amiúde pelo seu autor que não consegue deixar de transparecer uma certa animosidade para com as culturas muçulmanas.
(...)


A obra é boa e merece ser lida, embora como o Thanathos diz, talvez já seja um pouco datada para ser traduzida (ou editada) aqui na tugalândia.

Em relação às ideias politicas e os muçulmanos, é preciso não esquecer que um dos maiores heróis da luta contra o Shrike é Fedmahn Kassad.
Ascendencia Palestiniana..,

OffTopic) Um dos maleficios de perceber que até leio bem em lingua bife, vai se o controlar das aquisições.......
Fenómenos desencadeantes de enfarte do miocárdio

Esforços físicos, stress psíquico, digestão de alimentos, coito, tempo frio, vento de frente e esforços a princípio da manhã.

Ou seja, é extremamente perigoso fazer sexo ao ar livre com vento de frente, após ter tomado o pequeno almoço numa manhã de inverno...

User avatar
grayfox
Edição Única
Posts: 4203
Joined: 01 Jul 2008 16:20
Location: Braga
Contact:

Re: Hyperion & Fall of Hyperion

Postby grayfox » 14 Mar 2009 21:50

vi este hoje na FNAC e fiquei tentado a comprar. mas so tinham o primeiro por isso não sei se vale a pena!
A melhor assinatura chinesa da actualidade.

User avatar
Samwise
Realizador
Posts: 14973
Joined: 29 Dec 2004 11:46
Location: Monument Valley
Contact:

Re: Hyperion & Fall of Hyperion

Postby Samwise » 16 Mar 2009 11:06

grayfoxpt wrote:vi este hoje na FNAC e fiquei tentado a comprar. mas so tinham o primeiro por isso não sei se vale a pena!


Podes ler o primeiro e depois veres se te interessa ler o segundo, que sempre podes encomendar.

A única questão aqui é talvez a possibilidade de encontrares uma edição com os dois juntos...

Sam
Guido: "A felicidade consiste em conseguir dizer a verdade sem magoar ninguém." -

Nemo vir est qui mundum non reddat meliorem?

My taste is only personal, but it's all I have. - Roger Ebert

- Monturo Fotográfico - Câmara Subjectiva -


Return to “Autores P - T”




  Who is online

Users browsing this forum: No registered users and 2 guests

cron