Colecção de Livros Licenciosos

Todos os lançamentos e opiniões cuja categorização não caiba nos sub-fórums alfabéticos permanecem aqui.
User avatar
Cerridwen
Edição Única
Posts: 7357
Joined: 01 Jan 2005 13:17
Location: Torres Vedras
Contact:

Colecção de Livros Licenciosos

Postby Cerridwen » 26 Mar 2011 13:52

A Edições Tinta da China lançou a Colecção de Livros Licenciosos, uma colecção de livros de bolso que tem como mote um verso do Canto IX de «Os Lusíadas»: «Melhor é experimentá-lo que julgá-lo.»

O Pauzinho do Matrimónio - Almanaque Perpétuo, ilustrado
Rafael Bordalo Pinheiro


Image

Tema: Livros Licenciosos
Coordenação: António Ventura
N.º de páginas: 192
ISBN: 9789896710767

Sinopse: «AOS CATURRAS

Vão gritar muito contra o PAUZINHO. Dirão que é imoral, que não tem graça e há-de até parecer-lhes perigoso. E contudo serão eles próprios, os pudicos, os castos, que hão-de comprar o livro e lê-lo de uma assentada. (...) Por descargo de consciência, diremos, todavia, que o fim do PAUZINHO não é perverter, mas divertir. Composto para ser lido por homens, não vimos inconveniente em chamar as coisas pelo seu próprio nome, porque, afinal, digam o que quiserem, a porra há-de ser sempre porra, muito embora lhe inventem nomes mais ou menos sonoros.
E se ele for parar às mãos de alguma menina que, por excesso de ingenuidade, se apegue a ele como as velhas ao seu Santo António? Não será culpa nossa. Nós escondemo-lo bem, elas que façam outro tanto: guardem-no onde puderem e… regalem-se com ele!
»

Leitura de um excerto do livro: http://www.tintadachina.pt/pdfs/d3d79aea7212951d5b99985ebdc84730-inside.pdf

Rafael Bordalo Pinheiro nasceu em Lisboa, em 1846. Estudou na Academia de Belas Artes e no Curso Superior de Letras. Foi actor dramático, caricaturista e fez cenários, tendo criado a figura do "Zé Povinho". Fundou e dirigiu O Calcanhar de Aquiles, O Binóculo, A Berlinda e A Lanterna Mágica. Esteve no Brasil entre 1875 e 1879, onde colaborou em O Mosquito, fundou Pst! e O Besouro. Depois de voltar a Lisboa, dirigiu O António Maria e que veio a chamar-se Pontos nos ii. Publicou o Álbum das Glórias, uma espécie de galeria de figuras portuguesas ou relacionadas com Portugal com textos. Também elaborou capas, ilustrou livros, folhas volantes, álbuns e brindes, foi ceramista e fundador de uma fábrica de cerâmica nas Caldas da Rainha. Participou em diversos almanaques com textos e ilustrações, entre os quais o Almanaque das Gargalhadas, lunático, profético, cómico, poético, satírico e burlesco (1870), o Almanaque das Artes e Letras, O Pauzinho do Matrimónio - almanaque perpétuo (1879), o Almanaque de Caricaturas para 1874, o Almanaque dos Teatros e o Almanaque Bijou.

User avatar
Cerridwen
Edição Única
Posts: 7357
Joined: 01 Jan 2005 13:17
Location: Torres Vedras
Contact:

Re: Colecção de Livros Licenciosos

Postby Cerridwen » 26 Mar 2011 14:07

Entre Lençóis - Episódios Inocentes para Educação e Recreio de Pessoas Casadoiras Cândido de Figueiredo

Image

Editora: Edições Tinta da China
Tema: Livros Licenciosos
Coordenação: António Ventura
N.º de páginas: 128
ISBN: 9789896710774

Sinopse: «Entre Lençóis – Episódios Inocentes para Educação e Recreio de Pessoas Casadoiras foi escrito, na clandestinidade de um pseudónimo, por Cândido Figueiredo, ilustre lexicógrafo, presidente da Academia de Ciências de Lisboa e fundador da Sociedade de Geografia de Lisboa. Uma divertida e muitíssimo picante novela, definitivamente proibida a menores de 18 anos.
Segue-se-lhe «Proezas de Frade ou Mistérios do Confessionário», um texto em verso também publicado no final do século XIX, de autor anónimo. A temática, muito comum na época, envolve um clérigo e as suas escaldantes aventuras. A linguagem, para dizer o mínimo, libertina, apanhará desprevenidos os leitores, a quem apenas o riso poderá salvar da apoplexia.»

Leitura de um excerto do livro: http://www.tintadachina.pt/pdfs/5b1b6635944106aab561ff1e46699ed9-inside.pdf

Cândido de Figueiredo nasceu em Lobão (Tondela) em 1846. Fez os estudos preparatórios eclesiásticos e concluiu o curso de Teologia no seminário episcopal de Viseu. Mais tarde matriculou-se na Universidade de Coimbra, onde se formou em Direito. Em 1876, foi viver para Lisboa e começou a exercer a profissão de advogado. Em 1881, foi nomeado secretário-geral da Bula da Cruzada e, um ano depois, professor provisório do Liceu Lisboa. Depois foi funcionário do Ministério da Justiça, onde chegou a subdirector-geral, foi governador civil de Vila Real e secretário particular do ministro das Obras Públicas Bernardino Machado. Também foi jornalista, tendo colaborado com vários periódicos como Panorama, «Aljubarrota», Lusitana, Bem Público e Ocidente e, fundado e dirigido A Capital. Foi um dos elementos da comissão encarregada de fixar as bases da ortografia (1911) e elaborou o Novo Dicionário. Tendo sido sócio correspondente da Academia das Ciências de Lisboa em 1874 e seu presidente. Foi ainda sócio do Instituto de Coimbra, da Sociedade Asiática de Paris, do Grémio Literário do Pará e da Real Academia Espanhola. E um dos fundadores da Sociedade de Geografia de Lisboa. Publicou livros como Quadros Cambiantes, Entre Lençóis - Episódios Inocentes para Educação e Recreio de Pessoas Casadoiras (escrito sob o pseudónimo Guilhermino), A Ortographia No Brasil e o Pequeno Dicionário de Língua Portuguesa.

User avatar
Cerridwen
Edição Única
Posts: 7357
Joined: 01 Jan 2005 13:17
Location: Torres Vedras
Contact:

Re: Colecção de Livros Licenciosos

Postby Cerridwen » 26 Mar 2011 14:14

O Vício em Lisboa - Antigo e Moderno
Fernando Schwalbach


Image

Editora: Edições Tinta da China
Tema: Livros Licenciosos
Coordenação: António Ventura
N.º de páginas: 144
ISBN: 9789896710781

Sinopse: «Ao começar este pequeno livro, tive apenas em mira esboçar, o mais ao de leve possível, o que era o vício em Lisboa; e, com alguns exemplos por mim vistos no decorrer de doze anos de vida boémia, mostrar não só os podres desse mesmo vício, como os resultados funestos a que muitas vezes leva quem nele se internar.

Aos novos de ambos os sexos que me lerem, poderão alguns dos capítulos que aí ficam servir de guarda a quedas que mais tarde deplorariam, mas já sem remédio; aos velhos, servir-lhes-ão para recordar... tempos que já não voltam! [...]

[O vício] afinal é todo igual, começa como acaba, quer seja no clássico bordel ou na alcova forrada a peludos tapetes, onde as pulgas, aos milhares, se aninham viciosas, a exemplo das suas donas ... ou alugadoras.
»

Leitura de um excerto do livro: http://www.tintadachina.pt/pdfs/0bd7e2650ef7d69cb9a638f822dc0880-inside.pdf

Fernando Schwalbach publicou diversas obras, entre as quais Amor de Mãe, Na Morgue, O Padre Nosso, A Abandonada, O Beijo, Doida, Os Burros, No Hospital, Da Miséria à Loucura, Lisboa a Nu. Vidas, Tipos e Costumes (1912) e O Vício em Lisboa. Antigo e Moderno (1912). Colaborou no Almanaque Teatral, publicado em Lisboa entre 1913 e 1919.

User avatar
Cerridwen
Edição Única
Posts: 7357
Joined: 01 Jan 2005 13:17
Location: Torres Vedras
Contact:

Re: Colecção de Livros Licenciosos

Postby Cerridwen » 28 Mar 2011 16:36

"António Ventura é um coleccionador e tem uma biblioteca extraordinária", explica a editora Bárbara Bulhosa. A Tinta-da-China editou, com base precisamente na colecção de Ventura, os postais da República. E foi durante esse trabalho que o historiador falou a Bárbara Bulhosa da sua colecção de "livros licenciosos" de finais do século XIX e princípios do século XX, muitos deles publicados clandestinamente e com os autores, em muitos casos "grandes vultos da cultura portuguesa", a esconderem-se por detrás de pseudónimos.

Rafael Bordalo Pinheiro, por exemplo, é o autor dos deliciosos desenhos que ilustram "O Pauzinho do Matrimónio - Almanaque Perpétuo", obra de diversos autores que não quiseram ser identificados, mas que esclarecem que "o fim do pauzinho não é perverter, mas divertir" e que, sendo "composta para ser lida por homens", chama "as coisas pelo próprio nome, porque, afinal, digam o que quiserem, a porra há-de ser sempre porra, muito embora lhe inventem nomes mais ou menos sonoros.
"

Do artigo "Clisteres, pauzinhos e outros vícios na Tinta-da-China", de Alexandra Prado Coelho, publicado no sítio do Ípsilon em 2 de Março de 2011.

User avatar
pco69
Cópia & Cola
Posts: 5488
Joined: 29 Apr 2005 23:13
Location: Fernão Ferro
Contact:

Re: Colecção de Livros Licenciosos

Postby pco69 » 28 Mar 2011 17:06

Não faço ideia do porquê, mas esta colecção chamou-me a atenção :mrgreen:
Fenómenos desencadeantes de enfarte do miocárdio

Esforços físicos, stress psíquico, digestão de alimentos, coito, tempo frio, vento de frente e esforços a princípio da manhã.

Ou seja, é extremamente perigoso fazer sexo ao ar livre com vento de frente, após ter tomado o pequeno almoço numa manhã de inverno...

User avatar
Samwise
Realizador
Posts: 14974
Joined: 29 Dec 2004 11:46
Location: Monument Valley
Contact:

Re: Colecção de Livros Licenciosos

Postby Samwise » 28 Mar 2011 18:59

pco69 wrote:Não faço ideia do porquê, mas esta colecção chamou-me a atenção :mrgreen:


Devem ter sido os tons agradáveis na coloração das capas... :P
Guido: "A felicidade consiste em conseguir dizer a verdade sem magoar ninguém." -

Nemo vir est qui mundum non reddat meliorem?

My taste is only personal, but it's all I have. - Roger Ebert

- Monturo Fotográfico - Câmara Subjectiva -

urukai
Edição Única
Posts: 3232
Joined: 07 Aug 2008 23:35
Location: Lisboa
Contact:

Re: Colecção de Livros Licenciosos

Postby urukai » 28 Mar 2011 19:18

Samwise wrote:
pco69 wrote:Não faço ideia do porquê, mas esta colecção chamou-me a atenção :mrgreen:


Devem ter sido os tons agradáveis na coloração das capas... :P


Que diga-se de passagem são espectaculares. À conta das capas deles já me senti tentado. comprar os livros.

User avatar
Bugman
Edição Única
Posts: 4349
Joined: 24 Jun 2009 17:47
Location: Almada Capital
Contact:

Re: Colecção de Livros Licenciosos

Postby Bugman » 28 Mar 2011 21:13

Por acaso já li dois comentários a esta colecção que me deixaram bastante espectante (e feliz de morar longe de Lisboa). Salvo erro foi no Bibliotecário de Babel, mas não posso jurar...
A PENA online | O Bug Cultural

Normalcy was a majority concept, the standard of many and not the standard of just one man. Robert Neville
O homem que obedece a Deus, não precisa de outra autoridade. Petr Chelčický
Ao mesmo tempo que ali estava tudo igual, não estava você lá, não está teu passado, não está nada. Quer dizer: só você sabe que esteve ali. A parede, os prédios, não guardam a gente. Nós só nos guardamos a nós mesmos. Só valemos nós connosco. Fora daí é literatura, é poesia, é arte. Ferreira Gullar
Yes, I am a woman of the law. And there are lots of laws. But if they don't offer us justice, then they aren't laws! They are just lines drawn in the sand by men who would stand on your back for power and glory. Sartana
"No, Señoría, no es lo mismo estar dormido que estar durmiendo, porque no es lo mismo estar jodido que estar jodiendo". Camilo Jose Cela

User avatar
Arsénio Mata
Livro Raro
Posts: 1773
Joined: 01 Oct 2009 20:41
Location: Portimão
Contact:

Re: Colecção de Livros Licenciosos

Postby Arsénio Mata » 29 Mar 2011 12:15

Já estive com o do Bordalo Pinheiro na mão (uau, isto soou mesmo mal...) e são livrinhos muito porreiros.
Only in the bloodline is this terror exposed
A knife to the eye of modern day times
Exactly what you've worked for.

A price for the pride
I can feel the distance coming
The holes in my lungs
Won't let me take this anymore.

http://umhomemsimpatico.tumblr.com/

User avatar
Cerridwen
Edição Única
Posts: 7357
Joined: 01 Jan 2005 13:17
Location: Torres Vedras
Contact:

Re: Colecção de Livros Licenciosos

Postby Cerridwen » 10 Nov 2011 15:28

A Torre de Babel ou a Porra do Soriano
Guerra Junqueiro


Image

Editora: Edições Tinta da China
Tema: Livros Licenciosos
Coordenação: António Ventura
N.º de páginas: 216
ISBN: 9789896710965

Sinopse: «Pedro Soriano, um dos mais famosos patifes dos muitos que povoavam Lisboa no final do século XIX, ficou na história pelo seu atributo singular - um descomunal membro viril -, cantado por Guerra Junqueiro. Inicialmente, o poeta mostrou-se incrédulo, mas, tirando as dúvidas pela observação directa, pasmou e terá exclamado que semelhante instrumento merecia ser cantado num poema. Nasceu assim «A Torre de Babel ou a Porra do Soriano, que alcançou de imediato um sucesso estrondoso.

Note-se que Junqueiro nunca permitiu que o poema, fruto de um repentismo ditado por abundantes libações, fosse publicado, mas os amigos que o ouviram fixaram-no e depois surgiram várias edições clandestinas, passando a ser a obra mais rara e cobiçada de Guerra Junqueiro.

Ao poema segue-se o texto «O Casamento Simulado», de autoria anónima.»

Leitura de um excerto do livro: http://www.tintadachina.pt/pdfs/3e8d32ea4e2e7296359ed85c622e3012-inside.pdf?tcsid=c39dad1dfc0a43c7d1c378c0d86cf61c

Guerra Junqueiro nasceu em Freixo de Espada à Cinta, em 1850. Formou-se em Direito pela Universidade de Coimbra, onde conviveu com o poeta João Penha, em cuja revista literária - A Folha - ocorreu a sua estreia literária. Excerceu alguns cargos administrativos e publicou diversas obras, nomeadamente Finis Patriae (1890), Pátria (1896), Os Simples (1892), Oração ao Pão (1903) e Oração à Luz (1904). Blogue dedicado a Guerra Junqueiro: http://guerrajunqueiro.wordpress.com/

User avatar
Cerridwen
Edição Única
Posts: 7357
Joined: 01 Jan 2005 13:17
Location: Torres Vedras
Contact:

Re: Colecção de Livros Licenciosos

Postby Cerridwen » 15 Nov 2011 15:41

Aventuras Galantes
Rabelais


Image

Editora: Edições Tinta da China
Tema: Livros Licenciosos
Coordenação: António Ventura
N.º de páginas: 176
ISBN: 9789896711078

Da sinopse: «Uma selecção dos lúbricos e divertidos contos de «Rabelais», o mais célebre autor de literatura clandestina do século XIX.»

Excerto do livro: «Tocaram-na muito ao de leve, subtis como as brisas da tarde roçando as pétalas dos lírios e das açucenas. A mucosa, altamente sensibilizada com aquela suavíssima fricção, avermelhava pela irritação dos vasos sanguíneos, e ela cerrava os olhos, suspirava
debilmente e deixava‑se desfalecer ao contacto abrasador daqueles beijos quase vaporosos que a entonteciam e a excitavam como pequeninas descargas eléctricas.
- Estás incomodada? - segredou‑lhe ele, sentindo nas mãos a forte resistência do espartilho.
Ela sorriu‑lhe, levantou‑se, e saiu do quarto lançando‑lhe um terno olhar...
»

Rabelais é um pseudónimo de Joaquim Alfredo Gallis, nascido em Lisboa, em 1859. Foi administrador do concelho do Barreiro, secretário do governo civil de Lisboa, escritor, jornalista e exerceu o cargo de escrivão da Corporação dos Pilotos da Barra de Lisboa. Colaborou com jornais como o «Instituições», «Jornal do Comércio», «Liberal», «Ecos da Avenida» e «Diário Popular». Publicou vários livros, incluindo dois volumes de complemento à «História de Portugal» de Pinheiro Chagas, com o título «Um Reinado Trágico».

User avatar
Bugman
Edição Única
Posts: 4349
Joined: 24 Jun 2009 17:47
Location: Almada Capital
Contact:

Re: Colecção de Livros Licenciosos

Postby Bugman » 06 Jan 2012 16:29

Acabei com o Bordalo hoje.
A PENA online | O Bug Cultural

Normalcy was a majority concept, the standard of many and not the standard of just one man. Robert Neville
O homem que obedece a Deus, não precisa de outra autoridade. Petr Chelčický
Ao mesmo tempo que ali estava tudo igual, não estava você lá, não está teu passado, não está nada. Quer dizer: só você sabe que esteve ali. A parede, os prédios, não guardam a gente. Nós só nos guardamos a nós mesmos. Só valemos nós connosco. Fora daí é literatura, é poesia, é arte. Ferreira Gullar
Yes, I am a woman of the law. And there are lots of laws. But if they don't offer us justice, then they aren't laws! They are just lines drawn in the sand by men who would stand on your back for power and glory. Sartana
"No, Señoría, no es lo mismo estar dormido que estar durmiendo, porque no es lo mismo estar jodido que estar jodiendo". Camilo Jose Cela

User avatar
Bugman
Edição Única
Posts: 4349
Joined: 24 Jun 2009 17:47
Location: Almada Capital
Contact:

Re: Colecção de Livros Licenciosos

Postby Bugman » 12 Jan 2012 13:28



A colecçao pelo colector.
A PENA online | O Bug Cultural

Normalcy was a majority concept, the standard of many and not the standard of just one man. Robert Neville
O homem que obedece a Deus, não precisa de outra autoridade. Petr Chelčický
Ao mesmo tempo que ali estava tudo igual, não estava você lá, não está teu passado, não está nada. Quer dizer: só você sabe que esteve ali. A parede, os prédios, não guardam a gente. Nós só nos guardamos a nós mesmos. Só valemos nós connosco. Fora daí é literatura, é poesia, é arte. Ferreira Gullar
Yes, I am a woman of the law. And there are lots of laws. But if they don't offer us justice, then they aren't laws! They are just lines drawn in the sand by men who would stand on your back for power and glory. Sartana
"No, Señoría, no es lo mismo estar dormido que estar durmiendo, porque no es lo mismo estar jodido que estar jodiendo". Camilo Jose Cela

User avatar
Samwise
Realizador
Posts: 14974
Joined: 29 Dec 2004 11:46
Location: Monument Valley
Contact:

Re: Colecção de Livros Licenciosos

Postby Samwise » 12 Jan 2012 13:53

Então e o resto? :pipoca:

--- BOLA VERMELHA NO CANTO DO ECRÃ DAQUI PARA A FRENTE ---- fica o aviso para os pudores mais sensíveis.







Guido: "A felicidade consiste em conseguir dizer a verdade sem magoar ninguém." -

Nemo vir est qui mundum non reddat meliorem?

My taste is only personal, but it's all I have. - Roger Ebert

- Monturo Fotográfico - Câmara Subjectiva -


Return to “Vários”




  Who is online

Users browsing this forum: No registered users and 4 guests

cron