Page 13 of 18

Re: O Gato Preto - Edgar Allan Poe [Tradução]

Posted: 21 Mar 2014 13:42
by Samwise
Bugman wrote:Dono do estabelecimento.

Não estou por dentro para distiguir entre uma casa de p**as ranhosa, um bar alternativo ou um clube manhoso.


Pelo contexto - muito em concreto: o "mobiliário" da sala, e a ausência de qualquer referência feminina no local, ou queda do homem para esse lado da "infâmia", o vício dele, enquanto não estava a arrancar olhos a gatos, era mesmo a bebida - penso que não é mal utilizado "taberneiro".

Re: O Gato Preto - Edgar Allan Poe [Tradução]

Posted: 21 Mar 2014 14:14
by Bugman
Samwise wrote:Pelo contexto - muito em concreto: o "mobiliário" da sala, e a ausência de qualquer referência feminina no local, ou queda do homem para esse lado da "infâmia", o vício dele, enquanto não estava a arrancar olhos a gatos, era mesmo a bebida - penso que não é mal utilizado "taberneiro".


Confere, mas não sei se seria bem taberna. Não poderia ser um clube de "cavalheiros" a dar mais para o manhoso? Lembro-me de no Dorian Gray serem mencionados tais estabelecimentos.

Re: O Gato Preto - Edgar Allan Poe [Tradução]

Posted: 21 Mar 2014 14:39
by vampiregrave
Bugman wrote:Dono do estabelecimento.

Não estou por dentro para distiguir entre uma casa de p**as ranhosa, um bar alternativo ou um clube manhoso.

De resto, venha o próximo.


Pois, de facto não é fácil discernir qual o estabelecimento. A vinhaça aponta para uma taberna, mas também pode ser uma estalagem manhosa.

Re: O Gato Preto - Edgar Allan Poe [Tradução]

Posted: 21 Mar 2014 14:54
by Samwise
Se formos pelo termo "landlord", as opções reduzem-se mais a: "senhorio", "proprietário", "dono", estando "estalajadeiro" também a vaguear por perto...

Se não quisermos ser interpretativos em demasia (para lá da zona em que se perde o pé :mrgreen: ), um dos três primeiros será mais apropiado.

Re: O Gato Preto - Edgar Allan Poe [Tradução]

Posted: 21 Mar 2014 15:11
by vampiregrave
Fica proprietário do estabelecimento para já então?

Re: O Gato Preto - Edgar Allan Poe [Tradução]

Posted: 21 Mar 2014 15:27
by Bugman
Não se fala propriamente de vinhaça, mas antes de Rum e Gin. Fica proprietário/dono do estabelecimento e adiciona-se aos casos para revisão.

Re: O Gato Preto - Edgar Allan Poe [Tradução]

Posted: 21 Mar 2014 15:39
by vampiregrave
Um pequenito:

I continued my caresses, and, when I prepared to go home, the animal evinced a disposition to accompany me. I permitted it to do so; occasionally stooping and patting it as I proceeded. When it reached the house it domesticated itself at once, and became immediately a great favorite with my wife.

Re: O Gato Preto - Edgar Allan Poe [Tradução]

Posted: 21 Mar 2014 19:29
by Samwise
Este é minúsculo, mas dá mais luta que o anterior...

1ª tentativa (que não me agrada por aí além):

Continuei com as carícias, e, quando me preparava para voltar para casa, o animal manifestou vontade de me acompanhar. Deixei que o fizesse, ocasionalmente curvando-me e afagando-o enquanto caminhava. Quando chegou a casa o gato familiarizou-se sem demora, e tornou-se de imediato num grande predilecto da minha mulher

Re: O Gato Preto - Edgar Allan Poe [Tradução]

Posted: 25 Mar 2014 11:50
by vampiregrave
Este é um bocado manhoso:

Continuei a acariciá-lo, e, quando me preparava para voltar para casa, o animal manifestou vontade de me acompanhar. Deixei que o fizesse, curvando-me ocasionalmente para o afagar enquanto caminhava. Quando chegou a casa o gato familiarizou-se sem demora e tornou-se de imediato num favorito da minha mulher.

Re: O Gato Preto - Edgar Allan Poe [Tradução]

Posted: 25 Mar 2014 14:22
by Bugman
Ora então já que fico para o fim, aqui vai o plágio do que vocês fizeram. Mudei uma vírgula para não ser acusado de me limitar a copiar o trabalho dos outros.

Continuei a acariciá-lo, e, quando me preparava para voltar para casa, o animal manifestou vontade de me acompanhar. Deixei que o fizesse, curvando-me ocasionalmente para o afagar enquanto caminhava. Quando chegou a casa o gato familiarizou-se sem demora e tornou-se de imediato num predilecto da minha mulher.


De qualquer das formas, não gosto de como este parágrafo ficou. Há aqui qualquer coisa que não me soa bem...

Re: O Gato Preto - Edgar Allan Poe [Tradução]

Posted: 25 Mar 2014 14:44
by vampiregrave
Mas alguém consegue identificar claramente a razão de tal estranheza :P ?

Re: O Gato Preto - Edgar Allan Poe [Tradução]

Posted: 25 Mar 2014 16:18
by Bugman
Eh pá, por mais voltas que dê não consigo nada que fique do meu agrado. Se calhar e o facto de estar assim sozinho.

Re: O Gato Preto - Edgar Allan Poe [Tradução]

Posted: 25 Mar 2014 17:29
by Samwise
vampiregrave wrote:Mas alguém consegue identificar claramente a razão de tal estranheza :P ?


Suponho que Freud há-de ter uma explicação científica para casos destes... :devil:

É uma combinação de termos e nomenclaturas frásicas que não se ajusta bem a uma tradução para português, pelo menos num contexto de aproximação entre palavras e estruturas.

Em todo o caso, uma qualquer das vossas propostas cumprirá bem a finalidade da tradução, sem causar mortos nem feridos, pelo que proponho avançarmos.

Re: O Gato Preto - Edgar Allan Poe [Tradução]

Posted: 26 Mar 2014 09:55
by vampiregrave
Fica então a última versão do Bugman. Próximo:

For my own part, I soon found a dislike to it arising within me. This was just the reverse of what I had anticipated; but—I know not how or why it was—its evident fondness for myself rather disgusted and annoyed. By slow degrees, these feelings of disgust and annoyance rose into the bitterness of hatred. I avoided the creature; a certain sense of shame, and the remembrance of my former deed of cruelty, preventing me from physically abusing it. I did not, for some weeks, strike, or otherwise violently ill use it; but gradually—very gradually—I came to look upon it with unutterable loathing, and to flee silently from its odious presence, as from the breath of a pestilence.

Re: O Gato Preto - Edgar Allan Poe [Tradução]

Posted: 26 Mar 2014 21:33
by Samwise
For my own part, I soon found a dislike to it arising within me. This was just the reverse of what I had anticipated; but—I know not how or why it was—its evident fondness for myself rather disgusted and annoyed. By slow degrees, these feelings of disgust and annoyance rose into the bitterness of hatred. I avoided the creature; a certain sense of shame, and the remembrance of my former deed of cruelty, preventing me from physically abusing it. I did not, for some weeks, strike, or otherwise violently ill use it; but gradually—very gradually—I came to look upon it with unutterable loathing, and to flee silently from its odious presence, as from the breath of a pestilence.

Não demorou a crescer dentro de mim uma comoção de desagrado por ele. Isto era o exacto oposto daquilo que eu havia previsto; mas – não sei como ou por que razão – o evidente afecto que nutria por mim enojava(-me) e incomodava(-me). Aos poucos, estes sentimentos de repulsa e incómodo deram lugar à amargura e ao rancor. Eu evitava a criatura; uma vaga sensação de vergonha, em conjunto com a recordação do meu anterior acto de crueldade, impediam-me de o maltratar fisicamente. Durante algumas semanas não o ataquei ou, por outra via, me servi de qualquer violência para com ele; mas gradualmente comecei a encará-lo com inexprimível ódio, e a fugir em silêncio da sua presença, como que para escapar a um bafo pestilento.