Page 2 of 3

Re: Dan Brown

Posted: 04 Sep 2009 18:35
by Jorge dos Santos
Eu não ia puxar galões... ia referir dados curriculares que não são sequer obrigatoriamente positivos. Há alguma suposição exagerada na vossa interpretação.

Dizer "Eu vivi em Sevilha três anos" é um dado curricular, mas não sei se deve ser mal interpretado, ou chamado de galões. O objectivo do Tópico é "A Vida de Dan Brown"...

Talvez fosse interessante o aluno poder referir as invenções geográficas do escritor, o ar entendido com que Dan Brown fala de criptografia, quando nem um nibble entende de informática ou electrónica digital e outros aspectos que podem explicar o grande número de mecenas e conselheiros que Dan Brown usa para escrever os seus livros. Será que um escritor é um montador de puzzles, ou tem que ser ele a recortar as peças?

Acho isso mais interessante de ser discutido do que o meu (ou de qualquer outro) currículo e seus galões e medalhas. O pessoal é que se esquece que o Autor do Tópico precisa de um resumo, de exemplos críticos para o seu trabalho e não de peixeiradas entre os membros do fórum, só porque parece que é proibido ter-se experiência de vida, idade, currículo profissional, ou até a medalha do pior pintor da rua!

Sinceramente...

Re: Dan Brown

Posted: 04 Sep 2009 18:47
by Jorge dos Santos
Cuidado que conhecer as pessoas ajuda a entender a sua postura... Se não pudermos falar do nosso passado, da nossa experiência e vivência, não ajudamos ninguém!

Ainda me lembro de um dia em que alguém queria meter uma Glock 17 no bolso do casaco, ou jaqueta, e que a mulher-polícia era uma Capitã da Judiciária. Nesse dia tive que corrigir os mais de 25 cm de comprimento da Glock e o facto de não haver femininos nos Postos Militares, nem da Polícia Judiciária ter Postos Militares como os americanos e brasileiros que usam Tenentes, Capitães, etc... Dizer que pertenço às Autoridades Internacionais foi puxar dos galões, ou fundamentar as minhas afirmações?

A Ana, na altura, percebeu. Se não acreditou, porque até posso ser um puto de 15 anos que tem jeito para isto, averiguou e viu que eu tinha razão, mas se há coisa que não suporto é o verbo achar. Dizerem "Eu acho que..." é sinal de desconhecimento!
Andar 20 posts a "Achar que", quando há alguém que "Sabe que", pode ser uma perda de tempo na vida. Ou vocês não valorizam a vida que têm? Espero sinceramente que pensem nisso! A cultura não tem que ser presunçosa!

Re: Dan Brown

Posted: 04 Sep 2009 18:54
by Thanatos
Jorge dos Santos wrote:Eu não ia puxar galões... ia referir dados curriculares que não são sequer obrigatoriamente positivos. Há alguma suposição exagerada na vossa interpretação.


Provavelmente não serei o único a ter suposições exageradas como adiante tentarei demonstrar.

Jorge dos Santos wrote:Dizer "Eu vivi em Sevilha três anos" é um dado curricular, mas não sei se deve ser mal interpretado, ou chamado de galões. O objectivo do Tópico é "A Vida de Dan Brown"...


Diga-me lá em toda a sinceridade porque é que sente necessidade de referir que viveu em Sevilha 3 anos para justificar o que adiante escreve ("existem mais de 3 números de acompanhantes, etc)? Esse facto não é apenas em Sevilha que ocorre e aqui raramente alguém duvida do que outro escreve.

Jorge dos Santos wrote:O pessoal é que se esquece que o Autor do Tópico precisa de um resumo, de exemplos críticos para o seu trabalho



E cá está outra suposição. À qual eu acrescento que o tópico foi iniciado em 2007. Mal estará o Grib se ainda estiver a aguardar respostas para o referido trabalho.

Jorge dos Santos wrote:e não de peixeiradas entre os membros do fórum, só porque parece que é proibido ter-se experiência de vida, idade, currículo profissional, ou até a medalha do pior pintor da rua!

Sinceramente...


E porque será que quando se rebate algo é logo «peixeirada»? E onde é que alguém proíbe a experiência de vida, a idade e os C.V.s? Apenas me questiono se esses factos interessam para alguma coisa por aqui.

Veja-se a forma descontraída, humorada e até brincalhona com que muitos membros se apresentam no tópico de Apresentações. Ninguém lá é contra nem proíbe idade nem CVs nem nada dessas coisas. Mas depois é assunto arrumado e encerrado.

Apenas e só isso.

Re: Dan Brown

Posted: 04 Sep 2009 19:10
by Jorge dos Santos
Então penso que houve muita embirração com a palavra currículo e alguma má interpretação... Não estava só em causa as 3 meninas, mas a distância a que o referido bar Punk (que existe mesmo) fica do aeroporto (até brinquei com a Vespa 3000), porque são mais de 80 km para fazer em vinte minutos numa vespa que mal dá 90 à hora...
E o Jardim, os Claustros, a Torre e o Pátio cujas janelas dão jeito para ele se pendurar, mas que em Sevilha, no referido Torreão não há sequer janelas... Inventar Geografia não é Ficção, são Invenções, ou (graficamente falando) Tapas.

Mas podia ter dito muito mais se a discussão se mantivesse em torno da Obra e não do facto de eu ter dito que não ia justificar curricularmente... Fora isso, muitos sabem disso, adoro brincar, ninguém sabe ao certo quem sou, nem o que faço, apenas sinto que por vezes, é bom que alguém diga que o refogado está estragado, porque é cozinheira e sabe o que diz.

O Dan Brown que me desculpe, mas esse livro não é exemplo de nada a não ser de muita arte em juntar peças. Contudo, se não falasse do que não sabe, talvez evitasse que obras ridículas como o Star Wars (lembrei-me desta agora) tivessem o não merecido sucesso que têm. Não era preciso puxar de galões, mas se um cientista fosse consultado para avalizar o filme, não teriam ficado tantos trabalhos bons na gaveta, por causa do ignorante sucesso de bilheteira!

Quanto a falar e a brincar, é como digo (ou já disse) adoro um pouco de bandalheira, trocadilhos, piadas, mas lamento não ter retirado aquele parágrafo. Nunca pensei que fosse tão importante, já que nenhuma importância tem na realidade!

Re: Dan Brown

Posted: 04 Sep 2009 19:23
by Thanatos
Jorge dos Santos wrote:Então penso que houve muita embirração com a palavra currículo e alguma má interpretação... Não estava só em causa as 3 meninas, mas a distância a que o referido bar Punk (que existe mesmo) fica do aeroporto (até brinquei com a Vespa 3000), porque são mais de 80 km para fazer em vinte minutos numa vespa que mal dá 90 à hora...(...)


Mas essa questão das personagens do Dan Brown se moverem à velocidade da luz é já um trademark dele. Ou alguém acredita mesmo que numa noite se conseguisse calcorrear tudo o que aparece no Código Da Vinci?

Agora a questão fulcral para mim é que há quem disfarce bem esses elementos mais fantasiosos, e o Brown é um deles, e há quem nem à lei da bala os consiga disfarçar e estou agora precisamente a meio da leitura d'O Sétimo Selo do tal jornalista e já não me recordo há quanto tempo não lia uma parvoeira pegada daquelas em que o Tomás de Noronha, dito historiador e docente da UN de Lisboa e supremo criptanalista consegue ser mais matarruano que uma porta. Só a título de exemplo algumas horas depois da inverosímil namorada lhe ter falado da crescente industrialização da China e da Índia ele não consegue entender numa conversa com um ex-colega qual o problema da industrialização da China. Para obtuso só lhe faltam as penas. Mas claro se ele entendesse o outro amigo já não podia expor e nós pobres leitores matarruanos ficávamos sem perceber. É contra esta posição de martelo a dar na cabeça do prego que eu me insurjo. O Brown nunca dá marteladas.

P.S.: Outra gira do Rodrigues dos Santos: uma personagem, com medo de ser assassinada, decide «desaparecer da face da terra». Umas horas depois manda um email a um ex-colega de Liceu com quem não falava à décadas em resposta a uma pergunta dele, feita, imagine-se num chat. Mas daqueles chats que dá para falar e desligar porque supostamente segundo o autor fica por lá tudo disponível... no comments. :rolleyes:

Re: Dan Brown

Posted: 04 Sep 2009 19:28
by pageHunter
Thanatos wrote:
Jorge dos Santos wrote:Então penso que houve muita embirração com a palavra currículo e alguma má interpretação... Não estava só em causa as 3 meninas, mas a distância a que o referido bar Punk (que existe mesmo) fica do aeroporto (até brinquei com a Vespa 3000), porque são mais de 80 km para fazer em vinte minutos numa vespa que mal dá 90 à hora...(...)


Mas essa questão das personagens do Dan Brown se moverem à velocidade da luz é já um trademark dele. Ou alguém acredita mesmo que numa noite se conseguisse calcorrear tudo o que aparece no Código Da Vinci?

Agora a questão fulcral para mim é que há quem disfarce bem esses elementos mais fantasiosos, e o Brown é um deles, e há quem nem à lei da bala os consiga disfarçar e estou agora precisamente a meio da leitura d'O Sétimo Selo do tal jornalista e já não me recordo há quanto tempo não lia uma parvoeira pegada daquelas em que o Tomás de Noronha, dito historiador e docente da UN de Lisboa e supremo criptanalista consegue ser mais matarruano que uma porta. Só a título de exemplo algumas horas depois da inverosímil namorada lhe ter falado da crescente industrialização da China e da Índia ele não consegue entender numa conversa com um ex-colega qual o problema da industrialização da China. Para obtuso só lhe faltam as penas. Mas claro se ele entendesse o outro amigo já não podia expor e nós pobres leitores matarruanos ficávamos sem perceber. É contra esta posição de martelo a dar na cabeça do prego que eu me insurjo. O Brown nunca dá marteladas.

P.S.: Outra gira do Rodrigues dos Santos: uma personagem, com medo de ser assassinada, decide «desaparecer da face da terra». Umas horas depois manda um email a um ex-colega de Liceu com quem não falava à décadas em resposta a uma pergunta dele, feita, imagine-se num chat. Mas daqueles chats que dá para falar e desligar porque supostamente segundo o autor fica por lá tudo disponível... no comments. :rolleyes:


Off-Topic: Quanto ao conteúdo relacionado com as energias alternativas, petróleo, etc etc? Quanto a mim é o que se aproveita do livro... Também li do JRDS A Ilha das Trevas, neste caso o que se aproveita é o conteúdo histórico relacionado com a história de Timor Leste. A capacidade do JRDS construir uma história credível fica bastante aquém das expectativas.... Não existe um tópico sobre esse autor? Podiamos ir para lá dar umas marteladas :devil2:

Re: Dan Brown

Posted: 04 Sep 2009 19:38
by Jorge dos Santos
Thanatos wrote:O Brown nunca dá marteladas.


Concordo com quase tudo, porque também não tive sequer pachorra para acabar de ler o Sétimo Selo do "Orelhas", mas quanto ao Dan Brown... sinceramente, ele pode não dar marteladas, mas prega as tachas com os dedos e nem sequer sabe do que fala!

Acho muito chato quando um escritor ganha o prestígio que ele adquiriu e depois diz que A=B, levando toda a gente a acreditar porque o Dan Brown disse... é que nem todos têm o teu nível cultural e discernimento, ou conhecimento.

Por essa ordem de ideias, um escritor poderia inventar tudo e mais alguma coisa, porque juntar didáctico e pedagógico à ficção, é mais mal aceite do que fazer como a Meyer que convenceu meio mundo que, afinal, há vampiros no meio de nós... passam é despercebidos, porque são muito normais!

É apenas a minha opinião, mas um escritor de ficção que inventa o enredo com base em dados reais, é um artista, um homem das Artes da Escrita; os outros são apenas escritores de linhas e especialistas em encher "DOC's" com letras.

:lol2:
PS: Já agora, por piada de rigor técnico, pediram-me para enviar um manuscrito em CD. Alguém tem canetas que permitam escrever mais de 350 páginas num CD, mesmo que use uma lupa? É que não vou ganhar para cerca de 700 CDs (se escrever dos dois lados, claro). Alguém disse para usar DVDs que levam 10 vezes mais texto!

Re: Dan Brown

Posted: 04 Sep 2009 19:45
by Thanatos
pageHunter wrote:Off-Topic: Quanto ao conteúdo relacionado com as energias alternativas, petróleo, etc etc? Quanto a mim é o que se aproveita do livro...



Nada tenho contra a mensagem. Agora também tenho algumas reservas quanto aos dados apresentados por ele. E reservas com este tipo de pensamento: segundo o autor os países em vias de desenvolvimento não deviam ir pelas energias baratas porque elas são poluentes. Iso soa-me a hipocrisia da mais pura. Então os países industrializados andaram dois séculos a dar cabo de tudo mas agora o problema é a África e a Índia e a China? :blink:

Outra engraçada é a mensagem passar como se fosse o pior dos fins quando ele próprio diz que o planeta já passou por cinco extinções em massa. Então e essas extinções também foram por excesso de poluição? Ou por causas naturais? E será que mesmo que parasse a poluição não haveria mais tarde ou mais cedo uma era glaciar? É que aguns artigos que eu já li apontam para o facto de o Homem não ser a única causa das alterações climatéricas, apenas anda a contribuir para a acelerar mas mesmo assim numa escala muito reduzida. Por muito que isso massaje o ego da Humanidade a nossa influência ao nível planetário é desprezível numa escala geológica. Basicamente daqui a mil milhões de anos who cares?

Re: Dan Brown

Posted: 04 Sep 2009 22:28
by Pedro Farinha
Bem, eu sei que não tenho curriculum e apenas atravesso Sevilha duas vezes por ano (e não me atrevo a sair do carro por causa do calor) quando vou e volto de férias.

Mas a verdade é que, tanto o Dan Brown como o José Rodrigues dos Santos, são autores que leio com agrado.

Obviamente que não são livros particularmente bem escritos, obviamente que tudo é inverosímil (mas ainda me hão de dar um exemplo de um livro verosímil que eu tenha gostado, porque os meus autores preferidos como Saramago, Gabriel Garcia Marquez ou mais recentemente McCarthy tem livros completamente irrealistas) e também que têm algumas lacunas técnicas e que misturam ficção com dados científicos, verdades históricas com pura fantasia (já a Biblia faz o mesmo).

E, claro, quando estamos por dentro de um assunto há coisas que nos saltam à cara, mas penso que se tratam de livros que buscam exclusivamente o entretenimento e, a meu ver, como tal, não estão mal conseguidos.

Re: Dan Brown

Posted: 07 Sep 2009 14:26
by Bugman
Jorge dos Santos wrote:Então penso que houve muita embirração com a palavra currículo e alguma má interpretação... Não estava só em causa as 3 meninas, mas a distância a que o referido bar Punk (que existe mesmo) fica do aeroporto (até brinquei com a Vespa 3000), porque são mais de 80 km para fazer em vinte minutos numa vespa que mal dá 90 à hora...
E o Jardim, os Claustros, a Torre e o Pátio cujas janelas dão jeito para ele se pendurar, mas que em Sevilha, no referido Torreão não há sequer janelas... Inventar Geografia não é Ficção, são Invenções, ou (graficamente falando) Tapas.

Mas podia ter dito muito mais se a discussão se mantivesse em torno da Obra e não do facto de eu ter dito que não ia justificar curricularmente... Fora isso, muitos sabem disso, adoro brincar, ninguém sabe ao certo quem sou, nem o que faço, apenas sinto que por vezes, é bom que alguém diga que o refogado está estragado, porque é cozinheira e sabe o que diz.

O Dan Brown que me desculpe, mas esse livro não é exemplo de nada a não ser de muita arte em juntar peças. Contudo, se não falasse do que não sabe, talvez evitasse que obras ridículas como o Star Wars (lembrei-me desta agora) tivessem o não merecido sucesso que têm. Não era preciso puxar de galões, mas se um cientista fosse consultado para avalizar o filme, não teriam ficado tantos trabalhos bons na gaveta, por causa do ignorante sucesso de bilheteira!

Quanto a falar e a brincar, é como digo (ou já disse) adoro um pouco de bandalheira, trocadilhos, piadas, mas lamento não ter retirado aquele parágrafo. Nunca pensei que fosse tão importante, já que nenhuma importância tem na realidade!


Com aquela ligeira nuance que o Star Wars não pretende passar coisas reais, daí até os próprios locais serem ficionados... O problema segundo percebi é ficionar-se o que existe não?

Re: Dan Brown

Posted: 09 Nov 2009 19:08
by Cerridwen

Re: Dan Brown

Posted: 07 Dec 2009 23:00
by pageHunter
Um passarinho disse-me que o pai Natal me vai oferecer o Simbolo Perdido do Dan Brown. Depois do que tenho ouvido dizer as minhas expectativas passaram de muito altas para muito baixas, portanto até pode ser que ainda venha a ser a ter uma surpresa positiva :devil2:

Depois venho cá "postar" a minha opinião :whistling:

Re: Dan Brown

Posted: 08 Dec 2009 15:37
by Tzimbi
pageHunter, manda um recado ao Pai Natal por esse mesmo passarinho e diz-lhe para gastar os euros noutro livro. Já li e é muito mau. Consegue ser pior do que os outros dois que li dele.
O estilo continua a ser o mesmo, mas desta vez a história consegue ser irritante e sem grande sentido, na minha opinião. E já não há pachorra para aqueles enigmas todos.

S.

Re: Dan Brown

Posted: 09 Dec 2009 11:08
by Samwise
Não volto a pegar num livro deste autor.

A fórmula esgotou e eu também já não estou lá muito virado para cheap-thrills.

Re: Dan Brown

Posted: 24 Jun 2010 22:21
by GoldenAngel
Olá a todos!

Ainda referente à Fortaleza Digital, uma coisa que me deixou intrigada foi o facto do nome de Rocío ser dos nomes femininos mais comuns em Espanha e que este tenha uma conotação como pureza, virgindade e beleza natural. Bem sei que existe a Virgen del
Rocio, mas também sei que o nome Imaculada é um nome bastante comum em Espanha e que este nome também tem a conotação de pureza e virgindade e beleza natural. Ora como o nome das duas prostitutas ruivas eram Imaculada e Rocío, a mim parece-me que o nome que tenha mais significado de pureza (Dewdrop) é o de Imaculada e não Rocío.
A minha questão é: será que a escolha do nome Rocío pela parte do autor não foi um equívoco da parte dele quanto aos significados, ou o será apenas uma falta de conhecimento da minha parte?

Agradecia uma resposta

Cumprimentos literários

GoldenAngel