O quarto do lençol branco

Pedro Farinha
Edição Única
Posts: 3298
Joined: 03 Apr 2005 00:07
Contact:

O quarto do lençol branco

Postby Pedro Farinha » 23 Apr 2005 16:46

Anda, entra nesse quarto.

Fecha a porta trás de ti, devagar, sem fazeres barulho. Põe uma música se quiseres, mas baixinho, para que não abafe as palavras, mesmo aquelas que sejam ditas num sussurro.

No meio do quarto está uma cama com um lençol branco. Deita-te se quiseres. Tira a roupa, descalça-te, põe-te à vontade. No quarto há uma janela. Aproxima-te dela e olha lá para fora. Pode ser dia ou pode ser noite, o tempo está parado neste quarto.

Eu estou deitado na cama apenas de boxers e uma T.shirt branca. Podes apagar a luz, deixando o quarto numa penumbra mas que se vejam os rostos.

E agora fala ! Diz tudo: o que sentes, o que queres, o que pensas, o que lamentas. Diz principalmente o quê, o quando, o porquê e o quanto. Não tenhas medo de me magoar. A maior dor é não saber, a maior dor é imaginar. Fala.

Conta a história sem pressas, não saltes nenhuma página. Faz-me as perguntas que quiseres, e eu responder-te-ei com a mesma sinceridade. Neste quarto não há lugar para a mentira nem para os jogos. Sobre este lençol branco a verdade é dita e é nua e crua.

Deixa as lágrimas rolarem, elas têm direito a isso. Grita se te apetecer ou fala num murmúrio. Quando quiseres faz uma pausa. Aproxima-te da janela e olha lá para fora onde o tempo não parou. Pensa que a janela pode ser aberta e saíres a voar. E que se saíres estará sempre aberta para voltares. E que por vezes quando saímos é porque queremos ficar e que noutras ficamos mas na verdade não estamos.

Faz-me as perguntas todas. Não me interrompas deixa a conversa sair mesmo que seja sem nexo. Fala. Faz uma pausa. Se quiseres podemos fazer amor sobre as lágrimas ou apenas foder para quebrar a tensão. Deixa-te estar calada e não te limpes. Estar suja de amor é estar limpa.

Não tenhas pressa. Não me faças ter pressa. Diz mesmo aquilo que não compreendes. Eu dir-te-ei o que não entendo. Por fim falemos em conjunto.

E agora que já falámos tudo. Cala-te. Não agora, não neste quarto mas para sempre. Que nenhuma das frases dita neste quarto seja repetida noutra circunstância. Que se um dia entrarmos de novo neste quarto não se repitam os temas. Sai e toma um banho. Entra de novo no quarto nem que seja só para te despedires. A janela está agora aberta e sempre estará. Diz-me um até logo, um até amanhã ou um adeus.

Eu continuarei imóvel na cama. Deitado de bruços. Agora que estou só deixarei as lágrimas rolarem num rio inesgotável. E quando elas pararem vou tomar banho, sentirei a água tépida a lavar-me a alma. Olharei para a janela e ver-te-ei a voar lá fora. Então olharei nos meus braços as asas a nascerem e sem surpresa levantarei voo. Poderemos voar juntos, poderemos voar separados, ou poderemos voar por vezes juntos por vezes separados. O tempo poderá recomeçar a correr.

No quarto sobre o lençol branco restarão duas manchas e o contorno dos nossos corpos. A janela ficará aberta para sempre.

Fala.

Cala-te.

E voa … nunca mais deixes de voar …

blueiela
Dicionário
Posts: 640
Joined: 31 Dec 2004 09:54
Location: Ovar
Contact:

Re: O quarto do lençol branco

Postby blueiela » 23 Apr 2005 17:04

Pedro Farinha,


Estou ainda a absover a intensidade das tuas palavras... é preciso algum tempo para o fazer!

O teu texto é fortíssimo, corta fininho a alma de quem o lê.

Eu simplesmente, não tenho palavras...só mesmo ADOREI!!



beijos


blue
<!--coloro:#0000FF--><span style="color:#0000FF"><!--/coloro-->É nas palavras que encontro o meu ninho de repouso...<br />nas suas asas alcanço o limite do imaginário!<!--colorc--></span><!--/colorc--><br /><br /><br /><!--sizeo:5--><span style="font-size:18pt;line-height:100%"><!--/sizeo--><a href="http://devaneiosazuis.blogspot.com/" target="_blank">Devaneios</a><br /><br /><a href="http://cortarpalavras.110mb.com" target="_blank">Cortar palavras num só golpe</a><!--sizec--></span><!--/sizec-->

Maloveci
Livro de Bolso
Posts: 239
Joined: 16 Mar 2005 23:27
Location: Jamaica man !!
Contact:

Re: O quarto do lençol branco

Postby Maloveci » 24 Apr 2005 11:11

Pedro Farinha :Olharei para a janela e ver-te-ei a voar lá fora


É incrível quando temos saudades e tudo nos faz pensar naquilo que desejamos ... até mesmo um olhar sobre uma janela, que poderia não existir se tudo estivesse mais esclarecido ... certo ? :(

Pedro Farinha : Poderemos voar juntos, poderemos voar separados, ou poderemos voar por vezes juntos por vezes separados.


As indefinições das nossas palavras provocam para mim um grande sentido de palavras : Que estamos sempre lá e presentes para uma 2ª oportunidade . Eu revejo este texto nesta forma Pedro, mas ... poderei estar enganado . :unsure:

Super intenso o texto e de quem ainda não proferiu cá para fora tudo o que está adormecido lá dentro . :bye: :tu: ... eu comecei assim :( :(
<!--coloro:#0000FF--><span style="color:#0000FF"><!--/coloro-->Desabafas??? Eu também... Estou aqui: <!--colorc--></span><!--/colorc--> <!--coloro:#9932CC--><span style="color:#9932CC"><!--/coloro-->maloveci@jamaicans.com<!--colorc--></span><!--/colorc-->

User avatar
Samwise
Realizador
Posts: 14974
Joined: 29 Dec 2004 11:46
Location: Monument Valley
Contact:

Re: O quarto do lençol branco

Postby Samwise » 26 Apr 2005 11:25

Há uma ideia geral que paira sobre este texto.
Uma ideia que eu já vi noutros textos aqui do fórum.
Independentemente da forma como é exposta e escrita essa ideia tem uma força dominadora sobre o escritor e sobre o(s) leitor(e).

A ideia é o "desabafo".

Há textos que nos fazem meditar mais que outros.
Sobre mim, este teve a particularidade de me pôr a imaginar cenários. É um texto com um poder de impacto acima da média.

Vejo aquele quarto como uma janela para a liberdade da alma. O quarto do "desabafo". O quarto onde é possível regressar atrás no tempo e esquecer as coisas más (mediante um determinado preço, pois claro). O quarto onde a nossa "sujidade interior" sai com uma lavadela de chuveiro.

Está muito bom!

Sam
Guido: "A felicidade consiste em conseguir dizer a verdade sem magoar ninguém." -

Nemo vir est qui mundum non reddat meliorem?

My taste is only personal, but it's all I have. - Roger Ebert

- Monturo Fotográfico - Câmara Subjectiva -


Return to “Pedro Farinha”




  Who is online

Users browsing this forum: No registered users and 2 guests

cron