Retorno Sagrado

User avatar
Thanatos
Edição Única
Posts: 13871
Joined: 31 Dec 2004 22:36
Contact:

Re: Retorno Sagrado

Postby Thanatos » 29 Sep 2005 20:10

Tendo em conta que tens apenas 14 anos apenas posso dizer que está maravilhoso, repleto duma luminosidade que por vezes anda arredada da escrita dos jovens. Isto não quer dizer que se o texto fosse de alguém mais velho perdia qualidade, nem por sombras!

Adorei a dualidade do conflito entre Bem e Mal em que pequenos cambiantes de cinzento se mostram nas pequenas acções quer do anjo, que do demónio.

Realmente fantástico! Espero ter o prazer de continuar a ler mais textos teus deste calibre.
Não importa como, não importa quando, não importa onde, a culpa será sempre do T!

-- um membro qualquer do BBdE!

Ludowig
Rascunho
Posts: 10
Joined: 07 Oct 2005 20:06
Location: Portugal
Contact:

Re: Retorno Sagrado

Postby Ludowig » 07 Oct 2005 21:09

Hehe, Olá!
Até que enfim li este texto. Realmente está muito bom, podias ter ganho... ahm...tem um tamanho bom, está muito "limpo" e "cristalino" se é q entendes... eu dps explico-te...e estás com um vocabulário muito rico, gostei especialmente do "ente".
Parabéns!
<i>"Se lutássemos com espadas verdadeiras matar-te-ia."</i>

Ordie
Encadernado a Couro
Posts: 427
Joined: 29 May 2006 20:21
Location: Coimbra/Viseu
Contact:

Re: Retorno Sagrado

Postby Ordie » 30 May 2006 07:08

Para começar, uma coisa que torna os textos limpos e agradáveis ao olhar é linhas intermédias entre parágrafos.

Assim.

Só uma sugestão :)

Agora, vamos lá a ver. Começas a falar dum jardim, e fazes uma descrição bastante boa dessa situação. Porém, o diálogo entre a mulher e o marido pareceu-me muito pouco natural, muito rígido. Também a passividade dos filhos face à discussão que está a ser levada a cabo não me parece ideal. Se eu fosse um daqueles miúdos naquela situação, das duas uma: ou me punha aos berros também ou fugia para o meu quarto ou coisa parecida; não ficaria lá a contemplar a situação.

No caminho derrubou um caríssimo e estimado jarrão de porcelana com uma das suas patas com garras. O acontecimento foi mais tarde interpretado pela família como uma corrente de ar especialmente forte.


Gostei desta passagem.

A única coisa que eu não percebo é porque é o que o anjo pegou na rosa e a pisou :\ Não me parece algo que ele faria.

Fica bem,

- Miguel
He who thinks greatly must<br />err greatly.

Ordie
Encadernado a Couro
Posts: 427
Joined: 29 May 2006 20:21
Location: Coimbra/Viseu
Contact:

Re: Retorno Sagrado

Postby Ordie » 30 May 2006 18:25

Henis wrote:É exactamente esta a impressão com que fiquei. De resto, gostei bastante. Acho que, trabalhando um pouco mais os diálogos (que, pensando que não, são sempre o mais difícil de conseguir com bastante sucesso), fica um texto muito mais rico.[right][snapback]22056[/snapback][/right]


Sim. Concordo com isso de trabalhar os diálogos; embora não os considere a parte mais difícil da escrita. Escrever um diálogo (normal) com qualidade média-boa é relativamente fácil: basta escrever o que duas pessoas normais diriam. Narrar uma determinada situação com o mesmo nível de qualidade é consideravelmente mais difícil.
He who thinks greatly must<br />err greatly.

Ordie
Encadernado a Couro
Posts: 427
Joined: 29 May 2006 20:21
Location: Coimbra/Viseu
Contact:

Re: Retorno Sagrado

Postby Ordie » 31 May 2006 19:06

Erinamis,

Sim, compreendo o objectivo da destruição da rosa por parte do anjo. Mas não penso que faças bem ao fazê-lo. Porquê? Porque ao longo de toda a história apresentas o Anjo como o avatar do bem: puro, belo, e que ajuda os mortais (quando "cura" o jardim). Dar-lhe uma faceta maléfica parece-me contra productivo; ou então talvez não esteja a ver a tua perspectiva completamente. Fica a minha opinião :)

talvez os diálogos sejam mais fáceis que a parte da descrição, mas um bom diálogo faz a diferença em qualquer história. Como já li algures, "deve contar cada palavra num diálogo, pois eles, melhor que outro qualquer aspecto, caracterizam uma personagem".


Concordo plenamente. Até tinha a impressão de ter escrito algo que expressa a mesma ideia em qualquer lado... talvez tenha sido na Tertúlia *vai ver* Parece que não. Não interessa: penso que o meu ponto pode ser representado melhor em forma de esquema.

Dificuldade (da menor para a maior)

Escrever um diálogo razoável
Escrever um diálogo bom
Escrever uma narração razoável
Escrever uma narração boa
Escrever uma narração quase-perfeita
Escrever um diálogo quase perfeito

Ou qualquer coisa por essas linhas. heh.
He who thinks greatly must<br />err greatly.

User avatar
Samwise
Realizador
Posts: 14974
Joined: 29 Dec 2004 11:46
Location: Monument Valley
Contact:

Re: Retorno Sagrado

Postby Samwise » 01 Jun 2006 11:15

Ordie wrote:Escrever um diálogo (normal) com qualidade média-boa é relativamente fácil: basta escrever o que duas pessoas normais diriam.


Acho que escrever um diálogo credível ou realista é das coisa mais difíceis de fazer.

E não acho que baste escrever o que duas pessoas normais diriam... é uma daquelas situações em que a tentativa para ser realista pode sair totalmente ao contrário.

No entanto, gostei dessa tua hierarquia das dificuldades... não sei é se ordenaria as entradas da mesma maneira... nunca pensei no assunto.

Sam
Guido: "A felicidade consiste em conseguir dizer a verdade sem magoar ninguém." -

Nemo vir est qui mundum non reddat meliorem?

My taste is only personal, but it's all I have. - Roger Ebert

- Monturo Fotográfico - Câmara Subjectiva -

Ordie
Encadernado a Couro
Posts: 427
Joined: 29 May 2006 20:21
Location: Coimbra/Viseu
Contact:

Re: Retorno Sagrado

Postby Ordie » 01 Jun 2006 11:18

Sim, mas isso foi exactamente o que eu quiz dizer, Samwise. Escrever um diálogo aceitável, ou seja, que ninguém vai denunciar como "mau", é relativamente fácil. Escrever um diálogo credível, realista, muito bom, é de facto uma das coisas mais difíceis de se fazer. Daí o ter colocado em último lugar.
He who thinks greatly must<br />err greatly.

Ordie
Encadernado a Couro
Posts: 427
Joined: 29 May 2006 20:21
Location: Coimbra/Viseu
Contact:

Re: Retorno Sagrado

Postby Ordie » 03 Jun 2006 15:15

Sim, como eu disse (embora talvez não tenha explicado lá muito bem), percebi o que querias dizer: mas não é essa a aparência que dá. Ou seja, assumindo que tu podias

A ) Apresentar o anjo como avatar incondicional do bem
ou
B ) Denunciar a falta de absolutismo nos conceitos de bem/mal

Ao longo de todo o poema usas A ), e a introdução de B ) é apenas mostrada no último parágrado. Se querias que o foco, que a intenção, que o espírito do texto fosse B ) ao invés de A ), então terias de seguir uma linha coerente de caracterização da personagem "Anjo". Ainda mais, tu apenas mostras essa (ténue) malícia no Anjo. O Demónio é deixado à parte.

Como última coisa a apontar, para caracterizar uma personagem, não deves usar metáforas muito vagas. A de "destruir a rosa" é bastante fraca.

Fica bem, :)

- Miguel
He who thinks greatly must<br />err greatly.


Return to “Erinamis”




  Who is online

Users browsing this forum: No registered users and 1 guest

cron