Os 30 melhores westerns

User avatar
Samwise
Realizador
Posts: 14973
Joined: 29 Dec 2004 11:46
Location: Monument Valley
Contact:

Re: Os 30 melhores westerns

Postby Samwise » 15 Apr 2011 16:29

annawen wrote:Não li os textos de cada filme, só mesmo a lista. Sempre pensei que uma das condições essenciais para se considerar um filme um western era passar-se no oeste americano. Podemos não ligar ao local e optar por definir o género mais por comportamentos ou temáticas do que por localização geográfica mas na lista não me pareceu (mas eu também não vi para aí metade dos filmes da lista) que houvesse outro nas mesmas situações. Estou a lembrar-me de um filme (ou terá sido uma série?) do João Canijo passado no Alentejo. A maneira como está filmado pode ser entendido como um western passado no Alentejo. E mesmo os filmes do Glauber Rocha, "António das Mortes" por exemplo, também podem ser considerados westerns se seguirmos uma definição alargada. O que, por outro lado, trás o problema de, às tantas, tudo caber lá. Além disso, há imensos outros filmes do Ford que são mesmo westerns e que nem sequer aparecem.


A questão da geografia perdeu ao longo do tempo, e uma vez identificados os arquétipos base, a importância de "essencial", embora ainda continue a ser "estatisticamente dominante" e "historicamente definidora". É a tal questão das fronteiras dos géneros que também se verifica noutros casos - basta encontrar um elemento reconhecível como pertencente aos arquétipos estruturais comummente aceites e tens logo um etiqueta associativa a um género.

Algumas destas listas também devem fazer escolhas polémicas por capricho. No caso, é a única lista que se pode orgulhar de ter escolhido um "western" do John Ford nunca antes identificado como tal. :mrgreen:

Essa série do João Canijo é o Alentejo sem Lei, e é outro destes casos ditos "latos", muuuito "latos"... :D Pode ser vista no youtube, para quem tiver curiosidade.
Guido: "A felicidade consiste em conseguir dizer a verdade sem magoar ninguém." -

Nemo vir est qui mundum non reddat meliorem?

My taste is only personal, but it's all I have. - Roger Ebert

- Monturo Fotográfico - Câmara Subjectiva -

User avatar
MAGG
Livro Raro
Posts: 2010
Joined: 11 Sep 2009 13:26
Location: Mar de Dentro ...
Contact:

Re: Os 30 melhores westerns

Postby MAGG » 15 Apr 2011 22:19

annawen wrote:Além disso, há imensos outros filmes do Ford que são mesmo westerns e que nem sequer aparecem.


E nem sequer aparece o "Duelo ao Sol " ( :wub: ) nessa lista .

Samwise wrote:Essa série do João Canijo é o Alentejo sem Lei, e é outro destes casos ditos "latos", muuuito "latos"... :D Pode ser vista no youtube, para quem tiver curiosidade.


Ainda hoje estive com esse dvd na mão e depois lembrei-me que já tinha ouvido esse nome em algum lugar :D .



:bye:

User avatar
Thanatos
Edição Única
Posts: 13870
Joined: 31 Dec 2004 22:36
Contact:

Re: Os 30 melhores westerns

Postby Thanatos » 15 Apr 2011 22:30

Esteé o problema dos Gato... tão depressa fazem bosta como se saem com momentos geniais. Se bem que gozar com a nossa típica mediocridade até não requeira grande esforço. Põem-se a jeito, como se costuma dizer. :P
Não importa como, não importa quando, não importa onde, a culpa será sempre do T!

-- um membro qualquer do BBdE!

User avatar
Suzuki
Brochura
Posts: 37
Joined: 17 Dec 2012 21:41
Contact:

Re: Os 30 melhores westerns

Postby Suzuki » 14 Mar 2013 20:32

O melhor western para mim é este: O Bom, o Mau e o Vilão (Sergio Leone)

Nao é o meu genero favorito mas este filme é candidato ao melhor filme que vi na minha vida. Incrivel.

Sei que por muitos criticos o melhor western de sempre A Desaparecida de John Ford pode ser muito bom, mas nao me tocou muito. Acho que nao consegui perceber muito bem o filme.

User avatar
Sharky
Edição Única
Posts: 4587
Joined: 19 Jun 2008 00:04
Location: Margem Sul
Contact:

Re: Os 30 melhores westerns

Postby Sharky » 15 Mar 2013 11:09

Suzuki wrote:O melhor western para mim é este: O Bom, o Mau e o Vilão (Sergio Leone)


Já viste "Era uma Vez no Oeste," de Sergio Leone? Para mim é melhor que esse, mas por uma margem muito pequena B)



Agora que mencionei o filme vou revê-lo este fds :D

User avatar
Suzuki
Brochura
Posts: 37
Joined: 17 Dec 2012 21:41
Contact:

Re: Os 30 melhores westerns

Postby Suzuki » 17 Mar 2013 23:27

Sharky wrote:
Suzuki wrote:O melhor western para mim é este: O Bom, o Mau e o Vilão (Sergio Leone)


Já viste "Era uma Vez no Oeste," de Sergio Leone? Para mim é melhor que esse, mas por uma margem muito pequena B)



Agora que mencionei o filme vou revê-lo este fds :D



Vi esse e os outros dois spaghetti westerns do Sergio Leone como um punhado de dolars e outro que nao me lembro o nome.


Gostei mais do Bom, o Mau e o Vilao, porque achei-o um filme perfeito nos actores, musica, cenarios, os sons, as personagens, historia, fim......

Apesar de Era uma Vez no Oeste ser um filme muito louco e com uma historia que nao fica atrás mas nao é tao perfeito


Os Westerns era um genero que desprezava antes mas depois de começar a ver os classicos com olhos de ver mudei a minha opiniao sobre o género.

JeffreySobchak
Rascunho
Posts: 8
Joined: 04 Aug 2013 11:36
Contact:

Re: Os 30 melhores westerns

Postby JeffreySobchak » 11 Aug 2013 14:12

Sou grande fã de westerns e já foram aqui postados grandes filmes, não reparei se alguém mencionou este mas aconselho vos a verem um filme koreano chamado The good, The bad and the weird, atenção não confundir com o original do sergio leone...este é mais para o lado cómico e é parte remake parte homenagem... uma mistura de sergio leone com tarantino.

Adorei o filme e tanto quem faz de mau como quem faz de estranho "roubam" o filme...a única critica que aqui faço é que o papel de bom (No original interpretado pelo Eastwood claro) é um bocadinho fraco neste filme mas visto que a personagem principal é o Estranho isso não prejudica o filme. Vejam


User avatar
nimzabo
Enciclopédia
Posts: 970
Joined: 26 Sep 2009 22:07
Contact:

Re: Os 30 melhores westerns

Postby nimzabo » 11 Aug 2013 21:04

Não sei se ainda faz parte mas esse filme esteve nomeado pelo menos nalgumas edições do livro '1001 movies you must see before you die'.

JeffreySobchak
Rascunho
Posts: 8
Joined: 04 Aug 2013 11:36
Contact:

Re: Os 30 melhores westerns

Postby JeffreySobchak » 12 Aug 2013 13:59

eu supostamente pus ai o trailer mas não apareceu :p sorry guys

User avatar
Forbidden
Capa Dura
Posts: 328
Joined: 01 Aug 2012 14:45
Contact:

Re: Os 30 melhores westerns

Postby Forbidden » 23 Nov 2013 20:08

Eu adoro cinema, mas o western e um genero desconhecido para mim, simplesmente nao me chama... alias, so me lembro de ver um, o "Django Unchained" e esse e do Tarantino, por isso nem sei se conta :rolleyes: A nao ser que consideram filmes como Brokeback Mountain, The Misfts ou The Giant westerns, que para mim sao dramas, mas pronto.

De qualquer forma, pretendo ver um dia destes um do Sergio Leone, ja que os filmes dele sao tao aclamados...
"I took a deep breath and listened to the old brag of my heart: I am, I am, I am."

- Sylvia Plath

User avatar
Samwise
Realizador
Posts: 14973
Joined: 29 Dec 2004 11:46
Location: Monument Valley
Contact:

Re: Os 30 melhores westerns

Postby Samwise » 24 Nov 2013 13:07

Forbidden, "Western" é um termo que abarca uma vastidão quase interminável de abordagens - até por vezes as mais descabidas. Tal como a FC está irremediavelmente fixa na mente de muitos pela associação a "naves espaciais e extra-terrestres", o western está associado a filmes de "índios e cowboys"(e a uma época histórica situada nos finais do séc XIX, e a uma época de produção que terminou há uma décadas, mesmo na Europa). Não deixa de ser um facto que o foco de uma boa parte das abordagem recai sobre tais "objectos", mas sobre eles podem ser feitas tanto fitas de entretenimento rápido como dramas existêncialistas fora dos padrões "normais" (como por exemplo o Dead Man, do Jarmusch). E em todas as abordagens há grandes filme e grande porcarias...

Todos os exemplos que citaste podem ser associados ao western, mas podem também, naturalmente, ser dramas, ou histórias de amor, ou comédias, ou obras ficcionais de revisionismo histórico, ou isto tudo junto como é o caso do Django... :mrgreen:
Guido: "A felicidade consiste em conseguir dizer a verdade sem magoar ninguém." -

Nemo vir est qui mundum non reddat meliorem?

My taste is only personal, but it's all I have. - Roger Ebert

- Monturo Fotográfico - Câmara Subjectiva -

User avatar
Forbidden
Capa Dura
Posts: 328
Joined: 01 Aug 2012 14:45
Contact:

Re: Os 30 melhores westerns

Postby Forbidden » 24 Nov 2013 14:24

Samwise wrote:Forbidden, "Western" é um termo que abarca uma vastidão quase interminável de abordagens - até por vezes as mais descabidas. Tal como a FC está irremediavelmente fixa na mente de muitos pela associação a "naves espaciais e extra-terrestres", o western está associado a filmes de "índios e cowboys"(e a uma época histórica situada nos finais do séc XIX, e a uma época de produção que terminou há uma décadas, mesmo na Europa). Não deixa de ser um facto que o foco de uma boa parte das abordagem recai sobre tais "objectos", mas sobre eles podem ser feitas tanto fitas de entretenimento rápido como dramas existêncialistas fora dos padrões "normais" (como por exemplo o Dead Man, do Jarmusch). E em todas as abordagens há grandes filme e grande porcarias...

Todos os exemplos que citaste podem ser associados ao western, mas podem também, naturalmente, ser dramas, ou histórias de amor, ou comédias, ou obras ficcionais de revisionismo histórico, ou isto tudo junto como é o caso do Django... :mrgreen:



Talvez eu tenha uma ideia distorcida do que sao os Westerns, mas a ideia que tenho e que e uma especie de antecessor dos filmes de açao das ultimas decadas, com a diferença que havia menos recursos. Basicamente, dois homens que se antagonizam entre si, normalmente com um que e considerado Bom e o outro Mau, sendo que o Mau acaba por perder invariavelmente (mas isso tambem tem a a ver com o Hays Code da epoca). E claro, tem que haver cowboys e tiroteios, e nesse sentido fica um pouco limitado ao Velho Oeste, mas pode haver cowboys noutros sitios, nao sei :P

E esses tres filmes que referi nunca me passou pela cabeça considera-los como western, de facto...
"I took a deep breath and listened to the old brag of my heart: I am, I am, I am."

- Sylvia Plath

User avatar
Samwise
Realizador
Posts: 14973
Joined: 29 Dec 2004 11:46
Location: Monument Valley
Contact:

Re: Os 30 melhores westerns

Postby Samwise » 25 Nov 2013 23:24

Forbidden wrote:Talvez eu tenha uma ideia distorcida do que sao os Westerns, mas a ideia que tenho e que e uma especie de antecessor dos filmes de açao das ultimas decadas, com a diferença que havia menos recursos.


Até aqui penso que é de facto uma ideia algo distorcida, embora a acção, os tiroteios, a pancadaria nos saloons (e fora deles), sempre antecedida por diálogos antagónicos qu vão subindo de tom, os estoiros de manada e os tão célebres duelos sejam quase indispensáveis dentro do género.

Basicamente, dois homens que se antagonizam entre si, normalmente com um que e considerado Bom e o outro Mau, sendo que o Mau acaba por perder invariavelmente (mas isso tambem tem a a ver com o Hays Code da epoca). E claro, tem que haver cowboys e tiroteios, e nesse sentido fica um pouco limitado ao Velho Oeste, mas pode haver cowboys noutros sitios, nao sei


Embora a estatística esteja mais para o teu lado neste caso, o exemplo que apontas é apenas uma das variações mais comuns que se podem encontrar dentro do género (há um livro que aponta as sete principais - entre indios vs cavalaria, um homem misterioso que pretende vingar um passado, o tirano maldoso que manda numa povoação onde vai chegar um herói, etc)- mas isso não impede que haja uma boa quantidade excepções notáveis (ando a escrever um texto para um desses westerns - talvez o mais "diferente" deles todos) e não significa que dentro do estereótipo que identificas não possa haver grandes obras.

Deixo-te uma sugestão, uma só por agora, para não sobrecarregar-te de opções: vê o The Ox-Bow Incident, mas tenta não ler nada sobre a história antes de o ver. ;)
Guido: "A felicidade consiste em conseguir dizer a verdade sem magoar ninguém." -

Nemo vir est qui mundum non reddat meliorem?

My taste is only personal, but it's all I have. - Roger Ebert

- Monturo Fotográfico - Câmara Subjectiva -

User avatar
Samwise
Realizador
Posts: 14973
Joined: 29 Dec 2004 11:46
Location: Monument Valley
Contact:

Re: Os 30 melhores westerns

Postby Samwise » 27 Nov 2013 14:47

Image

Resumindo uma longa e atribulada história, depois do êxito retumbante de The Deer Hunter - O Caçador (1978), e da sua aclamação mediática junto dos óscares, a United Artists decidiu dar carta branca ao realizador Michael Cimino para o projecto seguinte, incluindo a liberdade critativa e os meios financeiros que achasse necessários para o erguer segundo a sua visão. Heaven's Gate é o fruto dessa visão - uma obra desmesurada e megalómana, mas que vale todo os dólares que custou a produzir. Aquando da estreia, o filme resultou num fiasco monumental junto das bilheteiras e num escândalo financeiro que levou o estúdio à falência, arruinando a eventual futura carreira de Cimino e condicionando irrevogavelmente a forma como as grande produtoras financiariam o cinema daí em diante (basicamente, segundo o princípio: "não há mais pão para malucos"). A versão de Heaven's Gate apresentada para distribuição generalizada nas salas (retalhada - cerca de uma hora mais curta do que a original tal como pensada por Cimino, com 219 minutos), foi trucidada uniformemente pela crítica norte americana e ignorada pelo público em geral, chegando a ser apelidada de "o pior filme de sempre".

O tempo decorrido desde então, o acolhimento entusiástico na Europa, e o lançamento da versão mais longa de acordo com o desejo do realizador (o directors' cut de 216 minutos), exibida novamente em 2012 no Festival de Veneza e lançada no catálogo da Criterion numa cópia imaculada, reabilitaram até certo ponto o filme, mas ainda terão de passar muitos anos - mais uma geração? - até que as cicatrizes do passado desapareçam por completo e lhe seja feita inteira justiça. Porque Heaven's Gate é um objecto de cinema singular, belíssimo na sua concepção e escopo visuais, filmado por um cineasta - também ele singular - que sabe dar o tempo necessário às sequências para que respirem, para que nos apaixonemos pelas personagens, paisagens e cenários na mesma proporção em que também ele próprio o declara através da câmara, de forma incondicional.

Trata-se um Western-anti-Western, prova de amor e de acusação em simultâneo, actualíssimo enquanto denúncia da ausência de valores morais e da hipocrisia reinante nas instituições "democráticas", que ousa demolir as fundações históricas da sociedade Norte Americana com tanto ou mais ímpeto com que The Deer Hunter o havia feito em relação ao envolvimento terrorista dos states no Vietname. A este respeito, dificilmente encontraremos no cinema outro caso tão extremista e determinado no apego ao realismo e na vontade-necessidade de revelar "a verdadeira verdade" (e talvez que esta amargura explícita e desconfortável em relação a valores que aprendemos desde cedo a respeitar seja uma das razões que explicam o seu fracasso comercial - uma, porque haverá outras). Nem Scorsese conseguiu ser tão cru ou cruel, vinte anos volvidos, no seu Gangsters of New York (2002).

Heaven's Gate é uma obra com um sentido contextual estético que borda o maníaco, com uma minúcia no detalhe e no pormenor que desafia a nossa credulidade (no melhor dos sentidos); uma boa parte do dinheiro colocado à disposição de Cimino terá sido gasto com este fim em mente: tudo parece real, tudo tem uma aparência de "usado", de "vivido", de "adequado" às personagens e às sociedades que estas habitam ("sociedades", plural, porque a abordagem é transversal - e vertical - no que respeita a classes e a comunidades). De facto, no que concerne a questões de reconstituição visual histórica (ainda que os factos tenham sido ficcionalizados), a sensação é a de "estarmos lá", naquele sítio, naquele momento. O efeito será tanto mais estranho quanto o nosso hábito de anos e anos a ver cenários recriados de forma teatral, que aceitamos como certos já sem pensarmos no assunto, mas que não revelam a essência dos hábitos diários - por outras palavras, foram dispostos para fornecer um contexto material, mas à conta de tanta preocupação simbólica acabam por não esconder uma dimensão extra-narrativa postiça, que soa a "falso" (um bom exemplo disto, e para lá de todos os méritos que o filme possa ter, é o que sucede em Dances With Wolves - 1990). É difícil não deixarmos cair o queixo uma quantas vezes ao longo da visualização de Heaven's Gate, não nos perdermos na imersividade realista dos cenários interiores e na sua total harmonia em relação à envolvente paisagística natural, com as gigantescas escarpas montanhosas a fecharem o último plano ao fundo no horizonte, tal com sucedia na pequena comunidade de Clairton, em The Deer Hunter. Não há Western mais conseguido ou visualmente estimulante do que este - nem as grandes obras de Ford, Hawks ou Mann, em toda a sua magnificência telúrica e força cenográfica, chegam perto de Heaven's Gate. Até pode ser que Cimino tenha tido a seu favor o legado de tais mestres, mas a verdade é que soube assimilar, mostrar que aprendeu a lição, e ainda acrescentar o seu ponto de costura. Neste domínio, o filme é um triunfo artístico absoluto, uma obra deslumbrante que se absorve como uma valsa, elegante, sóbria e moderna, que conserva no entanto um certo formalismo clássico que já vinha morrendo por essa altura e do qual pouco ou nada resta no cinema que se faz actualmente.

Mas não é só por aqui - até porque o contrabalanço temático e o tom desencantado com que este nos é servido são amargos e doloroso (muito... muito...). Nem a palavra Western, nem a narração histórica (ainda que ficcionalizada) daquilo que se sucedeu no Wyoming, na Guerra de Johnson County, poderiam alguma vez chegar para resumir o furacão destrutivo que nos aguarda em Heaven's Gate. No seguimento da "carta aberta" de denúncia à falsidade democrática exposta em The Deer Hunter, filme com o qual Heaven's Gate partilha de inúmeras características, Cimino enterra mais fundo o dedo na ferida e mostra-nos sem piedade nem pudor a falta de limites e a podridão xenófoba que "vem de cima" - dos powers that be institucionais. Sob o falso e conveniente pretexto de eliminar um pequeno grupo de "ladrões de gado e anarquistas" que ameaça a soberania do estado em Wyoming, em 1890, uma influente associação de grandes proprietários, com ligações ao poder político, elabora uma lista com 125 nomes de emigrantes europeus a abater, gente que chegou atravessou o Atlântico à procura de uma nova oportunidade e que tem no sustento da terra o único meio de subsistência. A aplicação da "justiça" propriamente dita ficará a cargo de um grupo de pistoleiros profissionais - mercenários contratados a peso de ouro para efectuarem a limpeza.

Para quem não havia entendido a mensagem passada em The Deer Hunter, (lembremo-nos de Jane Fonda...), Cimino explicita-a agora com todas as letras do alfabeto: a operação tem o aval directo do Presidente dos Estados Unidos da América(!), sobrepondo a jurisdição de qualquer agente da autoridade local e impedindo a própria cavalaria de intervir em defesa da população estrangeira. É a "lei" ao serviço do assassinato selectivo e em massa, não só desses 125 nomes, como das respectivas famílias e de mais quem se lhes oponha - a pulverização de uma fatia social incómoda de um ponto de vista monetário e político. E quem se lhes opõe é o marshal local, James Averill (Kris Kristoffersen), um herói fora do seu tempo, oriundo das classes altas, mas que conserva os princípios morais que lhe foram transmitidos durante a educação, decidindo tomar o partido da comunidade emigrante - de quem de resto é vizinho - e organizar um foco de resistência local. Averill está para Heaven's Gate como Michael (Robert De Niro) estava para The Deer Hunter, personagens de carácter forte e espírito determinado, mas de onde não estão ausentes ambiguidades, contradições e dilemas morais que resultam em acções "menos dignas", como a traição a um amigo (Christopher Walken) ou o abandono de uma causa social por conta do amor/rejeição de uma mulher (Isabelle Huppert), por exemplo.

É em Averill que se intersectam os dois eixos temáticos narrativos principais de Heaven's Gate e se constrói a conflituosa ponte entre uma realidade individual em declínio e o drama social de toda uma comunidade. Num dos eixos estará então a opressão dos poderosos sobre os desfavorecidos - com um massacre a avizinhar-se para breve -, e no outro o fecho anunciado de um ciclo na vida de um homem profundamente desiludido com as expectativas que não conseguiu concretizar desde a juventude. A estruturação narrativa do filme, mais uma vez à semelhança do que sucedeu em The Deer Hunter, é feita por compartimentos cronológicos que acondicionam e dão espessura às personagens. Há um "antes" (a festa de formatura de Averill em Harvard), um "durante" (a guerra de Johnson County) e um "após" (Averill a espreitar sobre o passado, a partir de uma terceira idade que o aprisiona). Sob esta perspectiva, Heaven's Gate afigura-se também como uma reflexão melancólica bastante amarga sobre o desencanto da vida, o envelhecimento, e sobre aquilo se vai esfumando à medida que certas decisões vão sendo tomadas - até que nada mais há a fazer para recuperar os sonhos que em determinada altura pareceram tão certos e promissores. Pelo meio, alguns raros momentos de felicidade...


Averill e Ella - ao som de David Mansfield

James Averill: «I'm getting old...»
Ella Watson: «Do you think everything stops because you're getting old?»
James Averill: «Maybe it does.»
Guido: "A felicidade consiste em conseguir dizer a verdade sem magoar ninguém." -

Nemo vir est qui mundum non reddat meliorem?

My taste is only personal, but it's all I have. - Roger Ebert

- Monturo Fotográfico - Câmara Subjectiva -


Return to “Cinema”




  Who is online

Users browsing this forum: No registered users and 4 guests

cron